BEM-VINDO VIAJANTE! O QUE BUSCA NO MULTIVERSO?

Divulgação | Últimos dias da pré-venda do Four Against Darkness

O mercado brasileiro de RPG nunca esteve tão aquecido e com tantas publicações e novidades quanto nos últimos tempos. São diversos sistemas, cenários, temáticas, empresas e produtores de conteúdo para todos os gostos. Mas é para ajudar você, selecionando boas dicas, que estamos aqui! 
E hoje não poderia ser diferente!
A pré-venda do jogo Four Against Darkness de Andrea Sfiligoi - publicado pela Retropunk Publicações - está em sua reta final. Mas calma! Se você não sabe nada sobre RPG de exploração de masmorras solo, aqui vão algumas explicações para que possa aproveitar os preços especiais bem informado!
Four Against Darkness é um jogo solo de exploração de masmorras, mas em vez de controlar apenas um personagem, o jogador controlará quatro personagens deles durante a aventura. Os personagens podem ser das seguintes classes: guerreiro, clérigo, ladino, mago, bárbaro, anões, halflings e elfos.  
Com os personagens escolhidos, prontos e equipados, você adentrará uma masmorra que é gerada através de tabelas aleatórias fornecidas pelo próprio manual. Em cada sala da masmorra você pode encontrar capangas, tesouros, aceitar missões ou batalhar com chefões.
Essas características tornam 4AD um jogo perfeito para quem está buscando por uma aventura, mas por algum motivo está sem grupo de jogo, impedido de reunir-se com os amigos ou simplesmente atolado pela loucura correria da vida adulta. A Retropunk garante que o jogo também excelente para abrir aquela stream solo e tentar desbravar masmorras com o chat! Coisa que o Azecos fez, inclusive!
Além disso o livro também é uma ótima fonte de ideias de como incorporar masmorras e armadilhas aleatórias em outros jogos.

Um dos destaques desta pré-venda é o kit ALL IN, com vários adicionais que trazem tudo o que é preciso pra jogar: dados, grid riscável e muito mais.

1x Livro de Regras do Four Against Darkness - Edição Brasileira IMPRESSO
1x Livro de Regras do Four Against Darkness - Edição Brasileira PDF (liberado em até 2 dias úteis após a confirmação do pagamento)
1x livreto Inimigos Diabólicos (8 páginas)
1x grid quadriculado riscável
1x caneta para quadro branco
2x dados de 6 faces
1x ficha matriz de Personagens
1x ficha matriz de Monstros Derrotados

Mas corre que pré-venda acaba dia 22/11! Acessa já o site!



Interlúdio.:06 | Lá e de Volta para Lugar Nenhum

Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o Download - Arquivo Zip
 
A bordo da Interlúdio, o Capitão Ace Barros e sua Imediata, Hall-e, recebem ajuda de AirechuCamila Loricchio, Samuel Muca e Simone Sousa para falar sobre alguns universos que andaram explorando recentemente e trazer indicações de leituras.
Embarque conosco nessa transmissão e viaje pela América Latina em busca da telepatia que reside em antigas culturas andinas; explore a Londre de Baixo e chega Lugar Nenhum; vá lá e de volta outra vez na companhia de 13 Anãos, um Mago e um pequeno Hobbit; e prepare-se para desafios mais complexos e memoráveis em sua mesa de RPG porque os monstros sabem o que estão fazendo.
Acompanhe-nos, estimados Exploradores de Universos!

DURAÇÃO: 55 Minutos 02 Segundos

COMENTADOS NO PODCAST:

Livro | A Telepatia São os Outros, por Ana Rüsche - Amazon - Skoob
Livro | Lugar Nenhum, por Niel Gaiman - Amazon - Skoob
Livro | O Hobbit, por J.R.R.Tolkien - Amazon - Skoob
Livro | Os Monstros Sabem o Que Estão Fazendo, por Keith Ammann - Amazon - Skoob

ENCONTRE O X DO MULTIVERSO:
Faça parte do nosso grupo do Discord


A TRIPULAÇÃO NAS REDES:
Twitter: @MultiversoX - @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @sih_souz - @camiaetria - @samuelmuca_
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos - @castelodecartas -  @samuelmuca_dd
Facebook: Multiverso X
Skoob: 
CapAceBarros - Airechu - JulioBarcellos - Sih - Camila Loricchio - Diogo - Samuel Muca

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br



Divulgação | ALMANAQUE DRAGÃO BRASIL

Depois de mais de uma década sem a edição impressa da revista de RPG mais popular do Brasil, a Editora Jambô anuncia o Almanaque Dragão Brasil. Sim, Dragão Brasil em formato físico na sua casa como nos velhos tempos! O quê, você não sabia nem que a revista tinha voltado? Pior!? Nunca nem teve contato com a revista na vida?
A Revista Dragão Brasil, publicação focada em RPG e cultura geek, completou 4 anos do seu retorno em seu formato digital, com mais de dois mil assinantes em seu financiamento coletivo recorrente. A Dragão Brasil nasceu originalmente como uma revista impressa, distribuída em bancas, nos anos 1990, quando esta era a melhor maneira de alcançar os pontos mais distantes do Brasil. Hoje, entretanto, a internet permite uma distribuição muito melhor. Mas para comemorar o sucesso contínuo da nova fase, a Editora Jambô preparou uma edição especial, dessa vez impressa: o Almanaque Dragão Brasil.
A edição comemorativa será um encadernado de luxo, estimado inicialmente em 96 páginas, que trará uma coletânea das melhores colunas e matérias da versão digital (edição 113 até 150) escolhidas por votação pelos Conselheiros — assinantes da Dragão Brasil que fazem apoio mínimo de 20 reais, e ganham acesso a um grupo de discussão exclusivo no Facebook. Além disso, trará uma matéria de capa inédita! A editora está preparando metas estendidas, que serão reveladas ao longo da campanha, para tornar o Almanaque ainda mais especial, incluindo material inédito exclusivo.
Para adquirir o Almanaque, é preciso ser apoiador da Dragão Brasil, ao menos pelo valor mínimo de R$7,00 (que garante a edição atual da revista digital) e depois fazer um Apoio Único de R$69,00 para o Almanaque. Esse é um produto de tiragem única, e só pode ser adquirido até o dia 31/12. Caso sobrem unidades, ele pode vir a ser disponibilizado na loja da Jambô depois de entregue aos apoiadores, em outras condições de preço.
Para mais informações acesse: www.dragaobrasil.com.br


Interlúdio.:05 | De Casagrande aos Viajantes do Abismo

Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o Download - Arquivo Zip
 
A bordo da Interlúdio, o Capitão Ace Barros e sua Imediata, Hall-e, recebem ajuda de AirechuCamila Loricchio e Samuel Muca para falar sobre alguns universos que andaram explorando recentemente e trazer indicações de leituras.
Embarque conosco nessa transmissão com a história de um craque dentro e fora dos campos com suas opiniões assertivas; viaje com por um mundo desértico e descubra o poder de uma distopia steampunk fantástica; e encontre um livro que conta a história da vida de quem você mais ama e tente lidar com as consequências de saber o futuro e a morte destinada.
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos!

DURAÇÃO: 52 Minutos 40 Segundos

COMENTADOS NO PODCAST:

Livro | Casagrande e seus demônios, por Walter Casagrande e Gilvan Ribeiro - Amazon - Skoob
Livro | Viajantes do abismo, por Nikellen Witter - Amazon - Skoob
Livro | Ex-libris, por Fábio Brust - Amazon - Skoob

ENCONTRE O X DO MULTIVERSO:
Faça parte do nosso grupo do Discord


A TRIPULAÇÃO NAS REDES:
Twitter: @MultiversoX - @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @sih_souz - @camiaetria - @samuelmuca_
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos - @castelodecartas -  @samuelmuca_dd
Facebook: Multiverso X
Skoob: 
CapAceBarros - Airechu - JulioBarcellos - Sih - Camila Loricchio - Diogo - Samuel Muca

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br

TRILHAS:
Take a Chance by Kevin MacLeod
Fanfare for Space by Kevin MacLeod


#ClubedoMultiverso.:09 | A Longa Viagem a Um Pequeno Planeta Hostil

Imagem retangular com uma montagem de elementos. Sobreposto sobre uma imagem do céu estrelado em tons de azul, um retângulo com bordas brancas contém: uma ilustração da vastidão espacial em um tom de azul próximo ao roxo, onde no canto direito uma nave espacial feita de sucata voa em frente a um planeta avermelhado. Sobre o espaço vago no lado esquerdo um texto em letras brancas flutua e nele está escrito: A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil.  Na parte superior, sobre uma linha que atravessa toda a imagem, um texto identifica o programa: Clube de Leitura do Multiverso. Enquanto no canto inferior esquerdo quatro ícones - um foguete, um livro aberto, um microfone e um número - representam a nave Interlúdio do Multiverso X, o tema do episódio, que se trata de um podcast e sua numeração 09.

Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o Download - Arquivo Zip
 
Está no ar mais um #ClubedoMultiverso. Aqui, junto com nossos leitores e ouvintes, entregamos o resultado dos debates sobre a leitura conjunta de uma determinada obra, realizada em nossa comunidade no Discord no mês anterior.
Em nossa décima leitura coletiva, fizemos a leitura uma obra de ficção científica de primeira linha e que merece todos os elogios conquistados: A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil, livro de Becky Chambers, publicado no Brasil com tradução de Flora Pinheiro pela Darkside Books. Nesse episódio, junto do Capitão Ace Barros, estão AirechuCamila Loricchio e Thiago Cordel.
Ouça e descubra o que achamos dessa leitura; como a autora constrói personagens fascinantes; como a ficção científica pode e deve continuar sendo usada para falar sobre temas atuais e necessários; e viaje conosco através de histórias repletas de diversidade.
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos!

DURAÇÃO: 1 Hora 34 Minutos 06 Segundos

COMENTADOS NO PODCAST:

Livro | A Longa Viagem a um Pequeno Planeta Hostil - Skoob - Amazon
Livro | A Vida Compartilhada em Uma Admirável Órbita Fechada - Skoob - Amazon

Livro | Os Registros Estelares de uma Notável Odisseia Espacial - SkoobAmazon 
Convidado | Siga o @thiago_cordel no Twitter e no Instagram
Convidado | Escute os podcasts do Perdidos na Estante 


ENCONTRE O X DO MULTIVERSO:
Faça parte do nosso grupo do Discord e particupe do #ClubedoMultiverso


A TRIPULAÇÃO NAS REDES:
Twitter: @MultiversoX - @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @sih_souz - @camiaetria - @samuelmuca_
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos - @castelodecartas -  @samuelmuca_dd
Facebook: Multiverso X
Skoob: 
CapAceBarros - Airechu - JulioBarcellos - Sih - Camila Loricchio - Samuel Muca

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br


Review | Rat Queens Vol. 1: Pancadaria & Feitiçaria

Imagem retangular com uma montagem de elementos. Sobreposto sobre uma imagem do céu estrelado em tons de azul, um retângulo com bordas brancas contém: Um recorte de uma imagem de fundo verde-água com as quatro protagonistas de Rat Queens. Da esquerda para direita: A clériga Dee, uma mulher negra de cabeços cacheados volumosos, de braços cruzados faz uma expressão de saco cheio com o rosto. A anã Violet, uma mulher baixa ruiva e corpulenta em armadura brilhante, abre os braços numa expressão provocativa. Betty, uma miúça dreadlock loiros, alegremente segura em seus braços muitos cogumelos alucinógenos. Hannah, uma elfa maga rockabilly de pele clara contrastantes com os cabelos negros, encara o observador com os dedos médios erguidos e cara de quem quer que o mundo se foda. Na parte inferior a iconografia indica que essa é uma resenha de uma história em quadrinhos e o texto diz: Rat Queens - Pancadaria e Feitiçaria.
Fugindo do óbvio e convencional, a Jambô Editora vem aos poucos expandindo a sua linha de quadrinhos e nos brindado com trabalhos excelentes, tanto de autores nacionais já consagrados da casa, quanto HQs estrangeiras, como ICH dos argentinos Luciano Saracino e Ariel Olivetti e mais recentemente a norte-americana Rat Queens da dupla Kurtis J. Wiebe e Roc Upchurch.
Ambientada em um típico universo de fantasia medieval, mas com uma proposta e abordagem ligeiramente mais dinâmica e contemporânea, Rat Queens traz em destaque o protagonismo feminino. Na história, Rat Queens é o nome dum grupo de aventureiros e mercenários arquetípico que poderia tranquilamente fazer parte de qualquer outro mundo de fantasia. Temos nele um clérigo curandeiro, um mago elfo, um gnomo/hobbit/halfling ladino e um guerreiro anão, com o porém de que os seus quatro membros são mulheres. Respectivamente Dee, Hanna, Betty e Violet, quatro amigas que não dispensam uma boa briga na taverna após uma noite inteira de bebedeiras!
Elas residem na cidade de Paliçada, e devido ao seu comportamento e à crescente insatisfação da população local com o mesmo, recebem uma missão do capitão da guarda da cidade, juntamente com outros grupos de mercenários a fim de mantê-los todos ocupados e afastados, pelo menos por algum tempo. Durante a missão as Ratas Rainhas são emboscadas e descobrem que foram vítimas de uma armadilha para matá-las. O que era para ser uma missão simples a princípio, afugentar alguns míseros goblins, se mostra parte de uma ameaça muito maior e caberá a elas descobrir quem está por trás deste plano.
Recorte de um quadro da HQ mostra as Ratas Rainhas com expressão de espanto, nojo e terror cobertas de sangue.Na trama que vai muito além da pancadaria e feitiçaria, as personagens tem a sua individualidade e personalidades trabalhadas e exploradas no roteiro ágil e divertidíssimo de Kurtis J. Wiebe. Cada uma delas possui seus próprios conflitos e dilemas alternados com uma linguagem solta, com direito a um vasto repertório de palavrões. Alguns dos esterótipos típicos dos grupos e raças de fantasia estão presentes, mas apresentam subversões criativas, tais como uma clériga ateia e uma anã que detesta cerveja, mas as Ratas Rainhas estão longe de ser uma simples versão feminina de personagens masculinos famosos. Suas personalidades e passado tem mais nuances do que pode captamos a princípio e o roteirista se vale disto para abordar no subtexto da HQ temas como o uso recreativo de drogas, a liberdade sexual e religiosa e claro, o papel feminino na sociedade.
A arte é outro ponto forte em Rat Queens! Roc Upchurch dá vida a tudo isto com traços agressivos e dinâmicos com muita autenticidade que não poupam o leitor de brutalidade e vísceras expostas. O design adotado para as protagonistas reflete a variedade tanto das raças de fantasia às quais pertencem quanto as suas próprias personalidades. Não há os excessos tão comuns em outras heroínas como os trajes sumários, as curvas irreais e as poses extravagantemente sexualizadas. As cenas de luta empolgam e sobram momentos do mais puro e simples badass!
Recorte de três quadros da HQ. O primeiro à esquerda mostra um grupo de aventureiros liderados por uma elfa loira que provoca: Ei, Hannah, divirtam-se nas cavernas. A gente vai se encher de tesouros enquanto vocês lipam bosta de goblins das botas. Nos quadros seguintes, a maga elfa Hannah responde erguendo o punho fechado: Tizzie, olha só o quanto eu me importo. Para logo após, mostrar o dedo médio erguido dizendo: Oh, conjurei um foda-se só pra você.
Com tradução de Gustavo Brauner, que no que creio ser uma licença poética fez Betty citar o radialista Silvio Luiz, a edição nacional possui acabamento de luxo, com capa-dura e papel couche de alta qualidade. Não notei erros de revisão ou diagramação, mas senti falta de extras. A edição traz apenas as capas das edições originais de banca da Image entre os capítulos e pin-ups de apresentação das personagens no início.
Não é a toa que a HQ ganhou tanto reconhecimento logo em seu lançamento. A série foi indicada em 2014 ao prêmio Eisner como Melhor Série Nova e ganhou o GLAAD Award (premiação que homenageia representações justas da comunidade LGBT) de “Outstanding Comic Book” em 2015. O primeiro volume também foi indicado para Hugo Award  na categoria Melhor História Gráfica.
Aqueles que confundem Rat Queens com uma tentativa oportunista de angariar leitores pelo seu forte tom feminista muito provavelmente vão perder uma excelente série, que ao contrário, tem tudo para agradar aos amantes da verdadeira fantasia, independentemente do gênero.
Seguindo a sequência da primeira imagem, as Ratas Rainhas encaram o leitor após retornar de uma de suas aventuras. Machucadas e equipamentos danificados, Hannah, Violet e Dee posam satisfeitas, apesar dos ferimentos e escoriações. Em cima de um barril, Betty ergue uma caneca de cerveja maior que sua cabeça e sorri.


Faixa azul que separa a postagem e o bloco de informações


Imagem de Capa da Edição mostra o grupo Rat Queens fugindo de um dragão após roubar seu covil.















Elas são um grupo de aventureiras matadoras, beberronas e mercenárias, e seu negócio é trucidar todas as criaturas dos deuses em troca de grana. Conheça Hannah, a elfa maga rockabilly; Violet, a anã guerreira hipster; Dee, a humana clériga ateia; e Betty, a miúça ladra hippie.
Suas aventuras são um épico de estilo moderno, dentro do gênero tradicional de matança violenta de monstros como se Buffy encontrasse Tank Girl em um mundo de RPG Mas pra lá de chapada!
Este álbum de colecionador reúne as edições 1 a 5 de Rat Queens, originalmente publicadas nos Estados Unidos pela Image.

Título: Rat Queens Vol. 1 — Pancadaria & Feitiçaria
Roteiro: Kurtis J. Wiebe | Arte: Roc Upchurch 
Tradutor: Gustavo Brauner
Editora: Jambô Editora | Páginas: 128
Acabamento: 18,5 x 27,5 cm, capa dura, colorido
Compre: AMAZON - JAMBÔ EDITORA

Imagem retangular azul com o nome do responsável pelo post e sua foto. Em letras brancas está escrito Airechu e no lado direito da imagem uma fotografia em preto e branco mostra um rapaz branco jovem olhando pra cima.

Novidades | Tormenta no Prêmio Jabuti, Novas Medalhas e Reimpressão de livro-jogo

Tormenta 20 está chegando, mas não é única novidade bacana envolvendo Tormenta e a Jambô Editora!
Na última quinta-feira (22/10) foram anunciados os finalistas da 62ª edição do Prêmio Jabuti, o mais tradicional prêmio literário do país. A autora Karen Soarele é finalista na categoria Romance de Entretenimento, com o livro A Deusa no Labirinto, um romance de fantasia épica que mescla inspirações da era medieval com o antigo Império Romano, e ambientado em Tormenta, o maior universo de fantasia do Brasil! Lançado na Bienal do Livro Rio 2019, o livro é finalista do Prêmio AGES, do Prêmio LeBlanc, do Prêmio Jabuti e o mais importante *cof, cof* ganhou episódio especial no podcast do Multiverso X.
Mas para além dessa belíssima vitória, tem também reimpressão de um livro-jogo fantástico e o lançamento de mais medalhas dos deuses. Confere abaixo!


Karen Soarele tem 32 anos, nasceu em Assaí-PR e cresceu em Campo Grande-MS, cidade na qual iniciou sua carreira literária. Morou por três anos em Halifax, Canadá, e desde 2018 fixou-se em Porto Alegre. É graduada em Publicidade e Propaganda pela Uniderp-Anhanguera e mestranda em Escrita Criativa na PUCRS.
Karen é autora de seis romances de literatura fantástica: Línguas de Fogo, Tempestade de Areia, A Rainha da Primavera e A Canção das Estrelas (independentes), A Joia da Alma e A Deusa no Labirinto (Jambô Editora), além de diversos contos em antologias. 
Além da carreira literária, atua como Gerente de Marketing da Jambô, onde foi responsável pela comunicação da campanha de financiamento coletivo Tormenta20, que bateu o recorde nacional em 2019, tendo levantado quase R$ 2 milhões no Catarse. Para mais informações, confira os links da autora aqui: https://linktr.ee/karensoarele

No oeste do mundo conhecido, o Império de Tauron se ergue supremo.
Em uma terra onde os fortes oprimem os fracos com a justificativa de protegê-los, elfas e humanas são mantidas escravas nos haréns dos minotauros. Assim determina a lei do império, concebida conforme a lei divina do Touro em Chamas.
Ninguém se opõe. Nem os senhores, satisfeitos com o poder acumulado, nem os servos, doutrinados a obedecer. Os outros reinos, temerosos das legiões táuricas, se acovardam. Os deuses, indolentes, apenas assistem à miséria dos mortais. Todos fecham os olhos para a perversidade da escravidão. Chegou a hora de fazer algo a respeito.
Em A Deusa no Labirinto, Karen Soarele (A Joia da Alma) aborda a mais controversa das sociedades de Arton. Um farol de paz e progresso em um mundo selvagem, a civilização táurica alcançou a glória, mas a um custo terrível. Quando uma elfa decide agir contra este regime, desencadeia eventos que irão mudar para sempre o Império de Tauron, o Reinado de Arton e o próprio Panteão.
Compre já o seu exemplar do Romance Finalista do 62º Prêmio Jabuti!
Reimpressão de livro-jogo

A Floresta da Destruição, clássico de Ian Livingstone, está de volta aos estoques da Jambô, agora com capa no padrão da coleção, que é para ficar bonito na sua estante!
Já são 22 títulos da coleção Fighting Fantasy traduzidos pela Jambô. Impossível ter todos em estoque ao mesmo tempo, mas vamos fazendo reimpressões à medida que eles esgotam. E vem título novo por aí!


Medalhas dos Deuses

Completando o clássico panteão artoniano, chegaram as medalhas de Ragnar e de Megalokk. Sabe o que isso significa? A coleção está completa! Ou quase...
Como já era de esperar, com as alterações recentes entre os deuses de Arton, o próximo passo é começar a produção das medalhas dos três deuses novos do cenário.
Enquanto isso, que tal comprar as medalhas antes que esgotem?