BEM-VINDO VIAJANTE! O QUE BUSCA NO MULTIVERSO?

Multiverso X.:33 - Rime & Dead or Alive 5 (???)








Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o DownloadArquivo Zip
 
No episódio de hoje o capitão Ace Barros, Airechu, Diogo Fernandes, Julio Barcellos e Hall-e, se juntam para mais um podcast de indicações. Dessa vez nossos destemidos exploradores avançam pelo universo das realidades simuladas e indicam dois jogos: Rime e Dead or Alive 5.
Ouça e descubra o porque o Diogo adora tanto a jornada deste garoto e ficou tão emocionado ao falar do jogo; entenda o porque de Dead or Alive ser uma franquia envolta em injustiças e polêmicas, e porque diabos o indicamos aqui. 
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos!

DURAÇÃO: 49 Minutos 12 Segundos

ABORDADOS NO CAST:

RIME - Tequila Works - Oficial Site - Trailer
DOA5: LAST ROUND - Oficial Site - Trailer 

A TRIPULAÇÃO NAS REDES:

Twitter: @MultiversoX @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @id_diogo
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos @id_diogo
Facebook: Multiverso X

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br


Deadpool 2

O mercenário tagarela da Marvel está de volta! Maior, melhor e, ocasionalmente, mais pelado do que nunca. Quando um super soldado chega em uma missão assassina, Deadpool é forçado a pensar em amizade, família e o que realmente significa ser um herói - tudo isso, enquanto chuta 50 tons de bundas. Porque, às vezes, para fazer a coisa certa, você precisa lutar sujo.
Título: Deadpool 2
Lançamento/Duração: 2018 - 119 minutos
Gênero: Aventura/Ação/Comédia/Sci-Fi
Direção: David Leitch
Roteiro: 
 Rhett Reese, Paul Wernick, Ryan Reynolds - Baseado no personagem de Rob Liefeld
Elenco: Brianna Hildebrand, Zazie Beetz, Morena Baccarin, Ryan Reynolds, T. J. Miller, Josh Brolin, Julian Dennison, Shioli Kutsuna, Stefan Kapicic, Leslie Uggams, Karan Soni.


Mais diversão. Mais ação e violência. Mais referências e eastereggs. E muito, MUITO, mais zoeira! Deadpool 2 é de modo geral um filme muito mais intenso, para o bem ou para o mal, que o seu antecessor. Mas o que isso quer dizer?
Depois do sucesso do primeiro filme, uma aposta de mercado no público adulto e uma chance de redenção, Ryan Reynolds reprisa seu papel como o Mercenário Tagarela com o desafio de tornar a surpreender o público e no mínimo igualar-se ao primeiro filme.
A trama gira em torno de impedir que o mutante Cable, vindo do futuro, mate o garoto mutante Russell Collins. Para isso Deadpool reúne um time com figuras como Domino, uma mutante dotada de uma sorte inexplicável, para impedir que isso aconteça. É claro que existem outros detalhes e surpresas, mas a verdade é que a trama é extremamente simples, e funciona dessa maneira.
A decisão então foi intensificar todos os acertos do primeiro longa e trazer frescor através da interação com os novos personagens. E isso é conquistado com certeza graças ao roteiro simples e boa execução geral do longa - apesar de uma seriedade excessiva em certas partes - e principalmente por suas cenas de ação eletrizantes. O próprio filme sabe das deficiências do seu roteiro e brinca com isso, e isso é o que faz de Deadpool... Deadpool, ora bolas!
Tudo é construído para que o filme seja, por mais estranho que pareça, pretensiosamente uma grande comédia de ação. Seu principal objetivo é fazer o público rir utilizando suas principais ferramentas: violência, acidez, metaliguagem e referências. E ele faz isso desde o inicio do filme até as cenas pós-créditos, nada escapa do humor doentio do Mercenário Tagarela. As referências e piadotas são tantas que acabam tendo diferentes níveis, e esse excesso pode irritar algumas pessoas. Existem as locais, que fazem maior sentido para quem conhece os Estados Unidos; existem as sobre super-heróis (incluindo os de outras editoras); aquelas sobre a carreira do próprio Ryan Reynolds e suas falhas; sobre o cinema em geral e a cultura pop, e também sobre o próprio filme e o universo dos X-Men, com citações ao aumento de orçamento e possibilidades de uso de CGI. Tudo é motivo para piada! E a característica do personagem de quebrar a quarta parede e falar diretamente com o público e fazer menções a acontecimentos fora da realidade imaginária do filme estão presentes, e várias vezes.
O elenco entrou totalmente no clima aloprado do filme, inclusive os novos personagens que acrescentam novos elementos tanto para a comédia quanto para as cenas de ação. Reynolds está mais solto do que nunca no papel, e todos os personagens, mesmo os mais diferentes, acabaram casando legal com o filme. O núcleo de apoio do herói ajuda a levantar diversas piadas dos mais inesperados tipos, mas vão além de servir de escada. A interação entre eles é muito boa e fundamental.
Apesar de ter recebido mais orçamento e isso ser refletido muito bem no filme, a computação gráfica parece ter menos esmero nos detalhes do que o anterior. Isso significa que fique perceptível e incomodo? Não, é apenas uma constatação crítica. Um mero detalhe tecnico que me ficou evidente, principalmente em alguns personagens em CGI. 
Mais uma vez a trilha sonora se porta como um personagem a mais na trama. Além de cumprir o papel de compor o momento, contribuindo para o ritmo e desenvolvimento da cena, tanto as tanto as composições originais quanto as música tema casam perfeitamente com o clima da obra. Em vários momentos a trilha é parte integrante das cenas e não apenas um pano de fundo, inclusive gerando situações por causa dela. 
Deadpool é diversão descompromissada e garantida, vale a pena conferir a feliz insanidade deste louco anti-herói. Dito isso, aqueles que gostaram do filme anterior certamente aproveitarão a sequência, e quem não gostou provavelmente gostará ainda menos desse. Mas seja dita a verdade, embora não seja um filme perfeito, Deadpool 2 é divertido pra caralho!


Multiverso X.:32 - Airechu e o Prisioneiro de Azkaban








Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o DownloadArquivo Zip
 
Depois de quase dois meses afastados retornamos, e já dando continuidade a jornada do navegador Airechu pelo universo mágico de Harry Potter. Em episódio especial sob comando do Julio Barcellos, recebemos a escritora Camila Loricchio para falar sobre o terceiro livro da série: Harry Potter e o Prisioneiro de Azkabam.
Ouça e descubra como foi a experiência de cada um de nós, em especial a do recém chegado Airechu. Acompanhe as descobertas e revisitas pelo mundo bruxo. Confira se a Cerveja Amanteigada tem álcool suficiente pra te fazer dormir com o Pettigrew. E descubra se o nosso navegador vai continuar ou não lendo a série.
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos! 

DURAÇÃO: 1 hora 13 Minutos 21 Segundos

NOSSA CONVIDADA:

Camila Loricchio
Site - Twitter: @camiaetria - Instagram: @castelodecartas - Facebook - Livros: Trilogia Castelo de Cartas
Financiamento Coletivos Desenredos: Post no Multiverso X - Apoie no Catarse

CITADOS NESTE EPISÓDIO:

Multiverso X.:23 - Harry Potter e a Pedra Filosofal (Airechu Finalmente Leu)
Multiverso X.:31 - Harry Potter e a Câmara Secreta #DaPáginapraTela

A TRIPULAÇÃO NAS REDES:

Twitter: @MultiversoX @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @id_diogo
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos @id_diogo
Facebook: Multiverso X

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br


Multiverso X.: Recados e Mais Recados






O podcast Multiverso X acabou? Não mesmo! O projeto demorou a sair e não será agora que ele vai cair. Contudo é verdade que estamos passando por dificuldades técnicas, e por isso trouxemos algumas explicações e anúncios para vocês.
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos!

DURAÇÃO: 6min 18seg

QUER OUTRAS OPÇÕES:

Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o DownloadArquivo Zip

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br


GEEK 10

Essa brincadeira de "blogueirinho" até rende umas oportunidades bacanas, né não? A loja Geek 10 entrou em contato com a gente para uma parceria e é claro que antes de aceitar e fazer a indicação, eu fui conhecer o trabalho deles. 
E quem é a Geek 10? Quem vai explicar isso para nós, são eles.

A Geek10 foi fundada com o objetivo de se tornar a maior loja geek do Brasil e atender de forma primorosa todo o público geek, nerd e também os entusiastas deste universo. Trabalhamos com os melhores fornecedores nacionais e internacionais para que possamos oferecer os melhores produtos para você, garantindo conforto, segurança, respeito e primando pela satisfação total de nossos clientes.
A Geek10 é administrada por pessoas aficionados pelo universo geek e do outro lado temos os clientes mais exigentes da galáxia, portanto todo dia é um grande e prazeroso desafio fazer essa ponte entre nossos clientes e esse maravilhoso universo geek :)
Não queremos apenas vender produtos, queremos levar até você os MELHORES produtos. Não queremos apenas entregar o seu produto, queremos enviar o seu produto o mais rápido possível. Não queremos que você goste de seu produto, queremos que você fique louco de felicidade ao receber sua encomenda. Se conseguirmos cumprir tudo isso, nossa missão estará cumprida.

Sabendo disso, pesquisei sobre a loja  e encontrei boas recomendações e qualificações, inclusive no Reclame Aqui, e conferindo o site vi que ela trabalha com uma grande variedade de produtos geeks, nerds e criativos. Tem almofadas, canecas, porta copos, porta chaves, camisetas e mais uma porrada de coisa bacana, incluindo Boardgames, os amados jogos de tabuleiro.
Fui lá, aproveitei pra comprar umas coisas, e a Geek 10 está testada e aprovada. Você também pode conferir a variedade de produtos da loja no site https://www.geek10.com.br e pode usar o cupom #VALARMORGHULIS para garantir 5% de desconto.

Desenredos







Viajando por entre estradas e rios, nossa protagonista navega pelos sacrifícios, mazelas e vantagens de ser levada pela correnteza da vida, conhecendo pessoas marcantes, passados apegados e entregas provavelmente atrasadas.

Titulo: Desenredos
Roteiro: Camila Loricchio
Artita: PedroVó
Tipo: Literatura/Quadrinho


Se você acompanha o Multiverso X, já está cansado de saber o quanto a gente apoia projetos nacionais e divulga o trabalho de diversos artistas, mas quando é alguém próximo da gente a coisa se torna ainda mais interessante. E hoje vamos falar de Desenredos, uma História em Quadrinhos de Pedro Vó (Shallow Spaces) e da nossa amiga Camila Loricchio (Trilogia das Cartas).
Nascida como um protótipo de cena para uma peça de teatro, com inspirações na canção Desenredo de Dori Caymmi e Paulo César Pinheiro e a poesia Na ribeira deste rio de Fernando Pessoa, Desenredos narra a história de uma mulher que navega pelos sacrifícios, mazelas e vantagens de ser levada pela correnteza da vida, viajando por rios e estradas, conhecendo pessoas marcantes, passados apegados e entregas provavelmente atrasadas.
Para acompanhar esse caminho por estradas brasileiras, Desenredos precisa da sua ajuda parabancar a impressão e alguns custos deste trabalho! 
O projeto Desenredos entrou em financiamento coletivo pelo Catarse (https://www.catarse.me/desenredos), para arrecadar através dos apoios a meta de 4 mil reais. A campanha é do tipo 'tudo ou nada', ou seja, se durante os 27 dias restantes de campanha o valor total for atingido a obra irá para a produção e todos os apoiadores receberão suas recompensas. Caso a meta não seja atingida, todos recebem de volta o valor investido.
Na plataforma de financiamento estão disponíveis níveis de apoio com valores entre R$10 e R$80, e garantem desde agradecimentos pelo apoio e poster digital até cópia de Desenredos alguns trabalhos extras dos autores. A campanha ficará disponível por mais 27 dias no Catarse (a contar de hoje, 23/04) e tem entrega de recompensas prevista para Julho de 2018.
Não esqueça de conferir a página do projeto para descobrir mais informações sobre ele, quais exatamente são as recompensa, etc. 
Apoie, divulgue e viaje junto a protagonista pelas estradas e rios desse Brasil!

Cosmos

Escrito por um dos maiores divulgadores de ciência do século XX, Cosmos retraça 14 bilhões de anos de evolução cósmica, explorando tópicos como a origem da vida, o cérebro humano, hieróglifos egípcios, missões espaciais, a morte do sol, a evolução das galáxias e as forças e indivíduos que ajudaram a moldar a ciência moderna. Numa prosa transparente, Carl Sagan revela os segredos do planeta azul habitado por uma forma de vida que apenas começa a descobrir sua própria identidade e a se aventurar no vasto oceano do espaço sideral. Aqui, o tratamento dos temas científicos está sempre imbricado com outros campos de estudo tradicionais, como história, antropologia, arte e filosofia. Publicado pela primeira vez em 1980, Cosmos reúne alguns dos conhecimentos mais avançados da época sobre a natureza, a vida e o Universo — e se mantém até hoje como uma das mais importantes obras de divulgação científica da história. Embora diversas descobertas fascinantes tenham ocorrido nos últimos quarenta anos, o tema central deste livro nunca estará desatualizado: nosso fascínio pelo conhecimento e a prática da ciência como atividade cultural.
Título: Cosmos
Autor: Carl Sagan
Editora: Companhia das Letras
Tradutor: Paulo Geiger
Ano de Publicação: 2017 / Páginas: 487


Traduzir as mais complexas e avançadas teorias científicas de sua linguagem técnica tornando-as acessíveis para um grande público leigo não é uma tarefa fácil, mas esta é a principal missão dos divulgadores científicos. Um dos mais carismáticos e precursor de nomes como Stephen Hawking, Marcelo Gleiser, Neil deGrasse Tyson, Brian Greene, Richard Dawkins, Michio Kako e tantas outras celebridades capazes fazer academia e sociedade dialogarem tão bem, sem dúvida, foi Carl Sagan.
Astrônomo e autor de autor de centenas de publicações científicas e de mais de 20 livros de ciência e ficção científica, Sagan trabalhou como membro e pesquisador das equipes científicas de diversas missões espaciais da NASA, foi colaborador do Instituto SETI e um dos membros fundadores da Planetary Society. Mas Sagan é conhecido sobretudo pela forma carismática e entusiasmada com que apresentou a série televisiva Cosmos: Uma Viagem Pessoal, exibida pela TV pública norte-americana no início da década de 1980 e exportada para todo o mundo pouco depois. A série escrita por Sagan e sua esposa Ann Druyan é considerada um dos mais formidáveis exemplos da amplitude e eficácia que a divulgação científica pode atingir através do audiovisual e deu origem a um livro homônimo, escrito concomitantemente com os roteiros dos episódios e que ainda hoje figura como um dos mais vendidos da história dentro desta temática.
O livro é dividido em 13 capítulos cujos títulos e temas são os mesmos dos 13 episódios da série de TV e ambos são complementares em profundidade e em imagética embora possam também ser apreciados sem prejuízo de forma independente. Se você já assistiu Cosmos vai se lembrar facilmente de algumas passagens, cenas e frases memoráveis de Carl durante a leitura.
Com um didatismo claro e apaixonadamente bem próprios, Sagan discorre com habilidade sobre inúmeros temas não ficando restrito à Astronomia, indo muito além daquilo que se espera dum livro de divulgação da ciência, demonstrando com exemplos simples como é gostoso aprender, descobrir, questionar e alimentar nossa curiosidade insaciável. Tudo isto com exercícios de imaginação que nos levam a lugares maravilhosos no espaço e no tempo, desde as minúsculas partículas que compõem os átomos e a matéria, passando pelo DNA, o tijolo básicos da vida na Terra, até a vastidão incomensurável das estrelas e galáxias.
Particularmente interessantes e inquietantes são as explanações de como o conhecimento adquirido e construído ao longo de anos de árduo trabalho pode sofrer reveses da própria sociedade, que em dados momentos de sua História preferiu optar pelo obscurantismo e o misticismo em detrimento do saber científico atrasando por séculos o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Um dos exemplos mais recorrentes no livro é o da destruição da Biblioteca de Alexandria, uma verdadeira instituição de fomento a pesquisa e o maior receptáculo do saber humano da Antiguidade, agora perdido para sempre.
Merecem destaques também os capítulos em que Sagan fala de forma entusiasmada de seu trabalho com as missões espaciais da NASA, sobretudo as sondas Viking que pousaram em Marte na década de 1970 e as sondas gêmeas Voyager 1 e 2 que atualmente rumam para fora do Sistema Solar após terem explorado por décadas os quatro planetas gasosos, suas luas e anéis. Bem como os capítulos sobre a origem e a evolução da vida na Terra, a busca por inteligências extraterrestres, bem como os capítulos biográficos que discutem os trabalhos de Newton, Kepler, Einstein, Hipátia, dos jônicos e tantas outras pessoas que contribuíram com o que se sabe hoje sobre o universo e o pálido ponto azul em que habitamos.
Republicado pela Companhia das Letras após anos fora de catálogo no Brasil, o livro conta com prefácios da própria Ann Druyan e de Neil deGrasse Tyson, que estrelou uma versão moderna e repaginada da série Cosmos em 2014. Novas notas técnicas atualizam o conteúdo do texto original com as mais recentes descobertas científicas, embora impressione o quanto muitas das ideias de Sagan são dotadas de uma atemporalidade intrínseca. O enfoque dado na história e desenvolvimento da ciência e do pensamento científico, bem como numa visão humanista e plural pautada no ceticismo contribuem enormemente para isto.
Às vésperas de completar os 40 anos de sua publicação original, Cosmos ainda impressiona, inspira e emociona e é leitura indispensável para todos. Quão atuais ainda são os seus questionamentos e sua crítica! Como alguns antigos problemas humanos continuam presentes e até se intensificaram nos últimos anos, sobretudo com o acirramento das tensões entre EUA e Coreia do Norte e o crescimento de alas conservadoras em todo o mundo e o quão perigoso isto é para toda a humanidade! Cosmos ressoa como uma voz poderosa diante do obscurantismo científico e da irresponsabilidade, sobretudo dos governantes para com o planeta Terra e o destino da humanidade como um todo. Mas longe de trazer uma mensagem pura e simplesmente alarmista, o que fica após sua leitura é o quanto fizemos e ainda podemos fazer como espécie num universo de dimensões inimagináveis que mal começamos a descobrir e a explorar cientificamente em nossa jornada por compreensão e auto-descoberta.
O grande (e não único) mérito de Cosmos, tanto série quanto livro, foi o de inspirar gerações inteiras de pessoas a seguir carreira científica e de mostrar como é recompensadora a nossa busca por respostas e conhecimento. Mesmo sabendo de nossa pequenez e insignificância no teatro cósmico, mas tendo consciência de que estamos e podemos desvendar alguns de seus mistérios, tendo a ciência e o pensamento lógico, além de nossa curiosidade natural como ferramentas é algo que não apenas engrandece a alma, mas é capaz de nos levar às mesmas estrelas, de onde um dia veio a matéria que forma o nosso corpo e o nosso mundo.