BEM-VINDO VIAJANTE! O QUE BUSCA NO MULTIVERSO?

Financiamento Coletivo: Gibi de Menininha

Titulo: Gibi de Menininha - Historietas de Terror e Putaria
Autores: Ana Recalde, Camila Torrano, Camila Suzuki, Carol Pimentel, Clarice França, Fabiana Signorini, Germana Viana, Kátia Schittine, Mari Santtos, Paulistana C B Lzz, Roberta Cirne, TalessaK
Tipo: Historia em Quadrinhos

A Sextra-Feira 13 passou, mas a gente esqueceu de postar o terror continua rolando e vem trazendo coisinhas a mais! Uma mulherada de atitude e muito talento trouxe um projeto trevoso para financiamento, trata-se da HQ Gibi de Menininha, uma obra de terror e putaria.
São seis historias, com 13 quadrinistas. A obra será impressa em formato americano, terá 80 páginas em preto e branco, como as boas e clássicas histórias de terror devem ser, e capa linda e colorida com a arte de Camila Torrano.
E quem são as envolvidas? Qual será o conteúdo? Você pode conferir a lista dar participantes abaixo e conferir uma pequena amostra nas imagens, mas para conferir o conteúdo você terá que apoiar a campanha.
Por Eras e Eras te amarei - roteiro: Carol Pimentel e arte: Roberta Cirne
Fome - roteiro: Clarice França e arte: Mari Santtos
Para Sempre (ou um marinheiro que me contou) - roteiro: Germana Viana e arte: Renata C B Lzz
A última comitiva - roteiro: Ana Carolina Recalde Gomes e arte: Talessa Kuguimiya
Doce Inocência - roteiro: Milena Azevedo e arte: Senhoritas de Patins (Katia Schittine e Fabiana Signorini)
Amarrados - roteiro: Camila Suzuki e arte: Germana Viana

Para quem não conhece, o funcionamento de um financiamento coletivo é simples: os objetivos são esclarecidos na página da campanha e as recompensas são apresentadas, o apoiador escolhe entre as possibilidades com quanto irá contribuir já sabendo qual será a sua recompensa. Por se tratar de uma campanha do tipo flexível, você irá receber a sua recompensa independente do valor da meta ser ultrapassado.
Para participar do financiamento de Gibi de Menininha, basta escolher um dos pacotes de recompensas disponíveis, com valores entre R$15 e R$ 270, que dão direito a recompensas variadas como exemplar digital da obra, exemplar físico, marcadores, prints e comission. Basta escolher o apoio que contemple aquilo que seja do seu interesse e caiba no seu bolso.
A campanha ficará disponível por mais 36 dias no Catarse (a contar de 22/06) e tem entrega de recompensas prevista para Dezembro de 2018. Agora que você já está por dentro de tudo confira a página do projeto no Catarse (https://www.catarse.me/gibi_de_menininha) e descubra mais informações: quais exatamente são as recompensas, detalhes sobre como seu dinheiro será investido, artes etc.
Apoie, divulgue, e ajude a Gibi de Menininha a alcançar o seu objetivo!

Futboard - Em Financiamento



Titulo: Futboard
Produtora: Mundos Jogos
Tipo: Jogo de Tabuleiro




Aproveitando o clima esportivo em que o futebol está em destaque, vem chegando em financiamento coletivo no Catarse Futboard, um jogo de tabuleiro sobre.. futebol!?! Sim, Futebol!
Futboard é um jogo de tabuleiro para dois jogadores com a proposta de realmente simular uma partida de futebol de forma rápida, tática e emocionante, e ainda  tem tudo para agradar mesmo quem não gosta do esporte.
No Futboard, cada jogador irá controlar o seu próprio time tentando fazer gols no adversário. Então durante o jogo você terá tudo que se vê em uma partida de futebol. Entre as mecânicas presentes, estão principalmente o movimento de área, quando você corre e dribla. Jogadores com poderes diferentes, quando também é usada uma régua para fazer passes. E rolagem de dados, quando tenta, por exemplo, chutar a bola pro gol. O jogo é muito simples de aprender, mas como um bom board game moderno, apresenta inúmeras possibilidades de resultado dependendo de como escolha suas ações. O manual será simples e ilustrado, e em poucos minutos você já estará pronto para inciar uma partida!
O projeto do boardgame Futboard entrou em financiamento coletivo pelo Catarse (https://www.catarse.me/futboard), para arrecadar através dos apoios dos gamers, entusiastas e amantes da bola, a meta de 18 mil reais. A marca já foi alcançada no primeiro dia e o jogo está garantido, mas você pode ajudar a torná-lo ainda melhor e se beneficiar disso.
Na plataforma de financiamento, é possível garantir Futboard e todo seu conteúdo com apoios a partir de R$120. A campanha ficará disponível por mais 37 dias no Catarse (a contar de hoje, 09/07) e tem entrega de recompensas prevista para Novembro de 2018.
Não esqueça de conferir a página do projeto para descobrir mais informações sobre o jogo: quais exatamente são as recompensas, detalhes sobre o conteúdo exato do jogo, o cronograma de produção etç. Aproveite e confira a abaixo a opinião do Alan Farias, do canal Direto ao Ponto, com mais detalhes sobre o funcionamento do jogo.
Apoie, divulgue, embarque nessa partida e seja o campeão!

Garota-Ranho


Do mesmo criador do fenômeno Scott Pilgrim, Garotaranho é uma das séries mais ousadas, engraçadas e espertas dos quadrinhos atuais. Lottie Person é uma blogueira de moda que vive uma vida absolutamente incrível — ou pelo menos é o que ela quer que você acredite. A verdade é que sua alergia está fora de controle, seu nariz não para de escorrer, o namorado a trocou por uma garota mais nova e é possível que ele tenha cometido um homicídio. Este é o primeiro volume do sensacional Garotaranho, de Bryan Lee O'Malley, criador de Scott Pilgrim, e da desenhista Leslie Hung.

Título: Garota-Ranho
Título Original: Snotgirl Vol.1: Green Hair Don’t Care
Autores: Bryan Lee O’Malley, Leslie Hung, Mickey Quinn
Tradução: Érico Assis
Ilustrações: Leslie Hung, Mickey Quinn
Editora: Companhia das Letras / Quadrinhos na Cia
Ano: 2018 / Páginas: 136


Lottie Person é uma garota perfeita! Dona de uma beleza estonteante, de um bom gosto p/ moda e de um estilo impecável ela é uma blogueira famosa, influente e bastante popular na internet. Como uma digital influencer ela vive de divulgar produtos e serviços diversos p/ seu público de sabe-se lá quantos milhões de visitantes únicos mensais. Mas, assim como muitas pessoas, essa boa vida que ela ostenta na rede é uma fachada, apenas o lado positivo cheio de filtros e maquiagem do todo. Tudo em nome dos likes e dos views!
Na realidade Lottie é uma pessoa comum, que enfrenta problemas que prefere esconder de todos, alguns graves e outros nem tanto, mas que servem p/ colocá-la em diversas encrencas pelo fato dela ser uma figura pública. Um deles é a alergia severa que faz com que seu nariz escorra sem parar, outros envolvem todas as complicações duma rotina normal de uma jovem adulta, tais como os relacionamentos com o namorado e as amigas e a agenda lotada de compromissos profissionais. Este é o mote principal de Garota-Ranho, uma série em quadrinhos publicada mensalmente nos EUA, criação de Bryan Lee O’Malley, conhecido pela franquia Scott Pilgrim, e da desenhista Leslie Hung.
Lottie Person atravessa um período complicado da vida. Terminou um longo relacionamento e seu ex-namorado agora está saindo com Charlene, a sua primeira estagiária no blog de moda. Sua médica alergista de costume tirou férias repentinas e desapareceu, deixando todos os pacientes sob responsabilidade do Dr. Rick (Dick? wtf!), um médico pra dizer o mínimo muito suspeito. Ela toma medicação, mas nem sempre ela é suficiente p/ conter o nariz e isto é algo que ela ñ quer ver exposto na internet de jeito nenhum. Lottie se sente só, suas amigas parecem distantes e alheias aos seus problemas, mas ela sabe que isto tbm é um pouco por culpa dela, afinal uma celebridade da moda ñ pode se dar ao luxo de descer do salto né? Uma perspectiva de mudança surge quando ela conhece a misteriosa Caroline, outra blogueira de moda tão popular e bonita quanto ela, e que propõe que elas sejam amigas e passem a sair juntas.
Merece destaque o núcleo de coadjuvantes, essencialmente as amigas de Lottie, cada uma a priori um estereótipo reforçado ainda mais pela mania da blogueira de dar apelidos a todos. Aos poucos vamos percebendo nuances individuais e as verdadeiras pessoas por trás daquela distorcida primeira impressão. Temos a Cuttiegirl que é toda meiguice e fofura, a Normgirl, a garota mais comum de todas e que infelizmente está se metendo num relacionamento com um boy lixo daqueles. Charlene a ex-estagiária de Lottie e atual namorada do ex dela e que tem tudo para ser a arquirrival mais maligna de todas, mas será mesmo? Ainda temos um Delegato, ou melhor, o detetive John Cho do L.A.P.D., com um curioso background que o levou a carreira policial, mas que é fã da alta costura e tbm da nossa protagonista celebridade. Além da própria Caroline, a Coolgirl, cuja presença deixa todo ambiente a sua volta desconcertado… a tal ponto de Lottie ñ saber se ela está morta ou viva, mas se culpar de certa fatalidade desde o dia em que resolveu sair p/ tomar uns drinks a mais com ela. Para complicar ainda mais as coisas, Caroline sabe do problema de Lottie com a alergia e a apelidou de Garota-Ranho. Dá pra imaginar o estrago se isso vaza!?
A vaidade e o culto a beleza nos níveis aristocráticos de Dorian Gray e a vida de fama e glamour como uma fachada tal como a da top model Lilico de Helter Skelter ñ são uma novidade na literatura e nem nos quadrinhos, mas em Garota-Ranho essa crítica adquire um tom menos mordaz e fatalista e mais palatável e bem humorado. Quer queiramos ou ñ, nossa sociedade cultua, se interessa e é influenciada pelas celebridades e obras do tipo são importantes para nos lembrar de que acima de tudo estamos diante de pessoas que sentem, se ressentem e muitas vezes sofrem com a sua própria condição. Com as facilidades da tecnologia e com a sedutora promessa da fama a um clique de distância nas redes sociais ñ é exagero nenhum dizer que é fácil encontrar identificação com Lottie e a blogosfera que a cerca. Estabelecer um diálogo franco acerca disto, sobretudo com um público mais jovem, é talvez um dos maiores méritos deste quadrinho.
A edição nacional tem tradução de Érico Assis e foi publicada pela Companhia das Letras através de seu selo de quadrinhos, Quadrinhos na Cia em maio de 2018 com acabamento em brochura simples, capa em cartão e miolo em papel off-set de alta alvura. Ela reúne as 5 primeiras HQs mensais originais. Um segundo volume com a continuação da história ñ deve tardar já que a publicação em inglês se encontra atualmente em sua décima edição. Como extras este primeiro volume traz esboços diversos dos personagens e uma galeria com as artes de capa alternativas de cada uma das edições originais.
Garota-Ranho foi uma gratificante surpresa! Com um título inusitado e talvez até repulsivo, ela surpreende pelo tom leve, descontraído e nem um pouco asqueroso. A leitura é fluida, divertida e instigante, com todos os seus inúmeros mistérios ñ respondidos e um frescor jovial, seja pela temática pop, pelas referências a cultura digital ou no uso bem feito das gírias de internet. O traço de Leslie Hung, mistura harmoniosa de mangá com cartoon nas cores vibrantes e ousadas de Mickey Quinn é muito agradável de ler e tem uma estética bem própria com bastante personalidade. Recomendo p/ quem consome conteúdo de influencers na internet, ñ apenas de moda, já que boa parte do marketing viral é feito de forma similar, mas tbm p/ quem procura uma boa opção de entretenimento e altas doses de risadas e mistérios! Vc vai ler, se divertir e pedir mais!
Ps: as abreviações usadas nessa resenha foram intencionais, mas não sei falar em internetês tão bem quanto os xóvens descolados! :P

Contos do Multiverso.:02 - Ligações








Reproduzir Em Uma Nova Aba - Faça o DownloadArquivo Zip
 
Acompanhado de Hall-e, a fiel imediata digital, o explorador de universos Ace Barros viaja pelos mais infinitos cantos dos cosmos coletando e catalogando histórias, das mais conhecidas às inéditas. Cada universo é único, embora alguns mantenham semelhanças menores, e em cada um deles existem causos, dramas, épicos e tragédias esperando para serem conhecidas. 
Neste segundo conto, Hall-e interrompe os preparativos do Capitão Ace para informar sobre uma série de ligações interceptadas pela I.S.S.Interlúdio. Mais do que os simples diálogos entre um casal de amigos, os áudios das ligações escondem uma história estranha e bem mais sombria do que aparenta...
Acompanhe-nos, estimado explorador de universos!

DURAÇÃO: 17 Minutos 27 Segundos

O Contos do Multiverso é um projeto colaborativo e sem nenhum fim lucrativo.
Este episódio, Ligações, é fruto de um trabalho conjunto com o escritor Rafael Peregrino. Você pode conhecer mais sobre o autor e seus outros trabalhos nos links abaixo.

Leia o Rafero: Acesse o Blog
Livros (Amazon): Rose Jack - O Jogo na Caixa de Sapatos

CRÉDITOS:

Texto Original: Rafael Peregrino
Adaptação: Ace Barros.
Edição e Mixagem: Ace Barros.

Com as vozes de:
Ace Barros - Capitão Ace Barros/ Sussurrante
Hall-e - Hall-e
Diogo Fernandes - Diego
Camila Loricchio - Carolina

PARTICIPE  DO CONTOS DO MULTIVERSO:

Conheça a proposta do podcast e colabore conosco!

A TRIPULAÇÃO NAS REDES:

Twitter: @MultiversoX @CapAceBarros - @_Airechu - @JulioBarcellos - @id_diogo
Instagram: @multiversox - @_airechu @juliobarcellos @id_diogo
Facebook: Multiverso X

QUER O FEED PARA ADICIONAR NO SEU AGREGADOR FAVORITO?

Assine o nosso feed: feeds.feedburner.com/multiversox/podcast

SUGESTÕES, CRÍTICAS E DÚVIDAS:

Envie e-mails para: contato@multiversox.com.br

Mutantes e Minotauros estão chegando!

Antes tarde do que nunca! A Jambô Editora deu inicio aos trabalhos do ano de 2018, e segundo o cronograma de publicações, muita coisa boa vem por aí nas linhas de literatura, quadrinhos, livros-jogos e, é claro, RPG.
Os primeiros lançamentos já foram anunciados e já estão em pré-venda. Confira!
A Jambô Editora tem o orgulho de anunciar a chegada nas estantes e mesas brasileiras de Mutantes & Malfeitores - Terceira Edição.
O livro básico do melhor e mais completo RPG de super-heróis está agora em sua nova edição, com regras aprimoradas e revisadas, que permitem aos jogadores e mestres criarem qualquer tipo de super-herói (ou vilão), com mecânicas detalhadas para qualquer tipo de superpoderes ou habilidades especiais.
Mutantes e Malfeitores é o mais elogiado e querido RPG de super-heróis está de volta em sua melhor versão (mas sem crises ou reboots infinitos) e o novo livro básico é tudo que o jogador (e mestre) precisa para começar suas campanhas super-heroicas do seu estilo preferido, podendo passar para a mesa de jogo qualquer saga inspirada pelos quadrinhos, animações, séries ou filmes. Basta só escolher os personagens e os poderes e se preparar para combater o crime.
A versão brasileira do livro segue fielmente original americano, com páginas internas coloridas e papel de qualidade, tudo num preço acessível para todos os fãs de RPG e de supers.
Seja detendo uma invasão alienígena, salvando o universo de um vilão insano ou enfrentando uma gangue de zumbis nazistas ciborgues, Mutantes e Malfeitores – Terceira Edição é a melhor opção em RPG de super-heróis!
Mutantes e Malfeitores - Terceira Edição tem 224 páginas coloridas e capa cartão (no formato 18,5 x 27,5 cm).
Tapista é o reino dos minotauros de Arton. Uma nação autoritarista e militarista, que ainda mantém a escravidão como uma das bases de sua cultura, revoltando os reinos vizinhos. Um império que dá mais valor para a força do que a vida. E é nesse reino cruel que um escravo tem a chance de ganhar a liberdade, de receber de volta a própria vida! Mas, para isso, ele precisa sobreviver ao Labirinto de Tapista, uma construção imensa que separa o reino do resto do mundo, uma muralha da espessura de uma cidade, que segue a lógica errática dos minotauros, sendo o maior labirinto do mundo.
E nesse livro-jogo, o leitor assume o papel do escravo em busca da liberdade em uma aventura cheia de enigmas e ameaças, enfrentando não apenas corredores ziguezagueantes, mas também perigos que jamais imaginou que existia! Um lançamento da Jambo Editora que revela mais do reino onde a piedade é um artigo raro e a vida é tratada como uma posse.
O Labirinto de Tapista é o terceiro livro-jogo ambientado no mundo de Arton, produto oficial de Tormenta, que além de mostrar a cultura do reino dos minotauros, traz mecânicas inéditas para tornar a experiência do leitor cada vez mais emocionante.
Um fantástico livro aventura, escrito por Lucas Borne, com arte interna de Adriano Batista, Leonel Domingos e Walter Pax, com capa de Ursula Dorada.
O Labirinto de Tapista tem 240 páginas (formato 21 x 25 cm, preto e branco).
Se quiser saber mais, ou garantir o seu exemplar, aproveite que até o dia 29/06 tanto Mutantes & Malfeitores 3ª Edição quanto O Labirinto de Tapista estão com valores promocionais para as versões Física, Digital e Combo. Que a aventura comece!

Financiamento Coletivo: Araruama - O Livro das Raízes



Titulo: Araruama - O Livro das Raízes
Editora: Moinhos
Autores: Ian Frase
Tipo: Literatura 


Que tal esquecer as fantasias repletas de elfos, anões e os tradicionais dragões e embarcar em uma nova experiência de literatura fantástica baseada nas culturas sulamericanas pré-colonização? Em tempos de valorização cultural e reconhecimento de identidade, chega a nós via financiamento coletivo a sequencia de uma saga instigante. Trata-se de Araruama - O Livro das Raízes!
Em Araruama, você irá encontrar outros tipos de seres fantásticos, todos inspirados nas culturas e mitologias nos povos sul e mesoamericanos. Mapinguarís, Quetzalcoatl, Anhangüeras, entre outros, permeiam esse universo singular. Nessa reimaginação da América do Sul, ao olhar para os céus, dependendo de sua sorte (ou azar), você não verá dragões, mas poderá encontrar Aráybaca, a gigantesca arara azul, e do chão, dos abismos mais escuros da terra, o Taturanaruxu pode emergir.
Um mundo completamente novo, repleto de segredos e mistérios, aguarda por você.
O livro terá cerca de 300 páginas e inclui nome ilustrações do artista Paulo Torinno e terá o trabalho de edição da Editora Moinhos. Confira um pouco sobre a trama:
O Turunã está aqui. Kaluanã, Batarra Cotuba, Izel Pachacutec, Apoema, Kurumã, Eçaí, Najoch Su’uk, Urquchillay Ch’aska e Ook Séeb devem mostrar toda a força de suas luzes e todos os conhecimentos que aprenderam durante seus anos de sementes. A mata se apresenta como um mistério a ser desvendado; feras andam nas sombras, apenas aguardando o momento certo para atacar; a fome e a sede acompanham cada passo dado; e, no horizonte do amanhã, há uma ameaça amarela que incomoda os pulmões e a vida das sete tribos.
No centro da trama, dois grupos de aprendizes que desbravam as matas da Ibi em busca dos seus eçapira, o presente que um receberá de Majé Ceci no fim do Turunã – só então eles poderão bater a mão no peito e gritar eu sou guariní. O primeiro grupo é liderado por Izel Pachacutec, conhecida por todos pela alcunha Guarapyrupã, a matadora de guarás. Dona de um espírito forte, Izel encontra dificuldades ao lidar com Kaluanã, homem destinado a ser o líder das sete tribos e que não faz questão alguma de controlar a sua língua. Lutando para manter a paz entre os dois está Batarra Cotuba, o gigante de Buiagu, e Urquchillay Ch’aska, uma mitanguariní de Mboitatikal.
Após um trágico combate, Apoema se vê obrigada a assumir a liderança de seu grupo, fardo que ela nunca desejou. Controlar os exanhé desafiadores de Ook Séeb e Eçaí irá colocar seus talentos à prova. A mulher, no entanto, pode contar com o apoio e amizade de Opira, amiga de longa data, e Najoch Su’uk, nativa de Tucuruí e dona de palavras sábias.
Desgarrado de todo o mundo conhecido, Obiru vive os perigos e as maravilhas da vida como um teçá. Renegado da convivência tribal, o capanema se vê obrigado a aprender a sobreviver sozinho, desbravando lugares e sentimentos que ele jamais acreditou conhecer. Seu tempo de vida escorre rapidamente com a aproximação de seu aman paba, mas o jovem sabe que ele ainda tem um grande papel a exercer sobre a Ibi.
Longe da vida no Turunã, as tribos da Ibi se veem em uma crescente tensão. As repercussões do ataque a Buiagu incendeiam os ânimos dos abaetê; os filhos de Aram e os filhos de Airequecê estão caminhando para uma guerra e o horizonte é uma promessa vermelha.
Você pode ainda não conhecer o autor, mas não falta reconhecimento ao trabalho deste conterrâneo. Nascido em Salvador, Bahia, Ian Fraser é formado em Cinema & Vídeo e fundador do canal Teclado Disléxico no youtube. Seu primeiro romance, O Sangue É Agreste, venceu o Prêmio Jovem Autor Inédito pelo Selo João Ubaldo Ribeiro, criado pela Prefeitura de Salvador. Ian Fraser também escreveu e produziu a peça “A Máquina Que Dobra o Nada”, sucesso de crítica e vencedor do Prêmio Braskem de Teatro, a maior premiação do teatro baiano, na categoria Melhor Espetáculo Infantojuvenil. Por fim, teve uma campanha muito bem sucedida durante o financiamento do primeiro volume da série.
Caso ainda esteja em dúvida sobre apoiar ou não o projeto, você pode conferir a opinião de alguns nomes conhecidos entre os booktubers - os youtubers literários - sobre o volume anterior dessa série obra, como Tatiana FeltrinVictor Almeida, do Geek Freak, JotapluftJu Cirqueira, do Nuvem Literária. Além disso, é claro, você pode conferir a nossa resenha de Araruama: O Livro das Sementes.
Para quem não conhece, o funcionamento de um financiamento coletivo é simples: os objetivos são esclarecidos na página da campanha e as recompensas são apresentadas, o apoiador escolhe entre as possibilidades com quanto irá contribuir já sabendo qual será a sua recompensa. Quando a meta não é alcançada o dinheiro é devolvido, e em algumas campanhas quando o valor estipulado é ultrapassado metas extras bonificam aqueles que contribuíram (não necessariamente todos, isso varia de recompensa para recompensa e de campanha para campanha).
Para participar do financiamento de Araruama - O Livro das Raízes, basta escolher um dos pacotes de recompensas disponíveis, com valores entre R$15 e R$ 1.500, que dão direito a recompensas variadas como exemplar digital da obra, livro físico, artbook, calendário, aventura de RPG até uma estatueta exclusiva e a marca da sua empresa estampada no produto. Basta escolher o apoio que contemple aquilo que seja do seu interesse e caiba no seu bolso.
A campanha ficará disponível por mais 59 dias no Catarse (a contar de 22/06) e tem entrega de recompensas prevista para Outubro de 2018. Agora que você já está por dentro de tudo confira a página do projeto no Catarse (https://www.catarse.me/araruama2) e descubra mais informações: quais exatamente são as recompensas, detalhes sobre como seu dinheiro será investido, artes etc.
Apoie, divulgue, e ajude a Araruama - O Livro das Raízes a alcançar o seu objetivo!

Araruama - O Livro das Sementes


Em Araruama, o momento do nascimento é um ritual sagrado. Monâ, a mãe do tempo e de todas as coisas, costura a duração de vida dentro do corpo de cada criança. Ao som das palavras de Majé Ceci após o parto, cada destino é selado: Kaluanã, nascido para uma vida mais longa que os números podem dar conta; Obiru, o capanema que morrerá jovem, destinado a descascar mandioca sob o olhar de desgosto do pai; Apoema, a que vê além e sonha em voar.
Em O Livro das Sementes, o primeiro volume da série, o leitor é transportado para uma realidade dura e encantada, onde as palavras são magia, a floresta é o mundo e forças determinam o equilíbrio da Ibi, a terra. A harmonia se baseia nas regras dos deuses, onde morte e vida, caça e caçador convivem até que a luz se apague.
Mas este ciclo tão familiar pode estar com os dias contados, pois sobre a Ibi se espalha um sentimento novo e incômodo: uma “fome sem apetite”, uma paixão pelas pedras derretidas. É o anúncio de que tempos sombrios estão por vir, sob formas nunca vistas antes – e os destinos das crianças de Araruama estão tão entrelaçados como raízes retorcidas.
Título: Araruama - O Livro das Sementes
Autor: Ian Fraser
Editora: Moinhos
Páginas: 228


As vezes uma história pode ser maior que as páginas que a contem. Assim é com Araruama - O Livro das Sementes, obra do conterrâneo soteropolitano Ian Fraser.
Em um tempo encantado onde as coisas tinham outros nomes e as histórias eram passadas às gerações através da oralidade, quando deuses não eram só lendas e as sete tribos dos homens habitavam a Ibi em harmonia, uma nova história começou a ser construída.
Nesse tempo fantástico e ainda cru, todas as crianças das tribos passam pelo ritual do amam paba ao nascer. As Majé, às sábias curandeiras agraciadas por Monâ, conseguem dizer o tempo natural de vida de cada recém-nascido. O aman paba é a base para toda a sociedade, e ajuda a estabelecer os papéis nas tribos: quem tem o maior aman paba está destinado a grandezas enquanto os de menor aman paba não são dignos de receber qualquer aprendizado.
Quando os ventos da mudança sopram com força trazendo consigo uma sombra e sentimentos ainda sem nome, acompanhamos o crescimento e desenvolvimento de crianças de tribos e posições distintas, que terão que provar sua honra e força enquanto o mundo esta prestes a mudar. As sementes da criação daquilo que um dia será Araruama.

Com uma narrativa por vezes bela e poética, Ian Fraser cria em Araruama um universo fantástico e original profundamente rico em detalhes e descrições, com raízes cravadas na cultura dos povos indígenas, fauna e flora das Américas. Ao mesmo tempo em que somos apresentados a um cenário novo e cativante, a obra traz uma gostosa sensação de proximidade, e consegue despertar o interesse pelas culturas que o inspiraram.
A escrita do autor é envolvente e encantadora, e, apesar da dificuldade causada pelo vocabulário próprio presente na obra, nos enreda e nos transporta para a história daqueles jovens, especialmente os cinco que ganham maior destaque através dos capítulos que os acompanham. Fraser consegue fazer um excelente uso de uma obra tão curta, pouco mais de duzentas páginas, ao entregar diversas histórias, cada qual com a sua característica particular, desenvolvendo todos os elementos de forma satisfatória, e nos deixar instigados por mais.
Durante a leitura, fui conquistado por cada detalhe dessa construção de mundo bem executada, pela originalidade e fuga da fantasia de ares europeus, pela poesia e paixão transmitidas através das palavras, mas também pelos personagens que guiam a trama e as reflexões trazidas em seu desenvolvimento. Obiru, Apoema, Kaluanã, Eçaí e Batarra Cotuba, e também aqueles coadjuvantes que os cercam, são personagens muito bem trabalhados e é difícil não se conectar com ao menos um deles em algum nível durante suas jornadas particulares.
A capa e ilustrações de Paulo Torinno, bem como os elementos internos do trabalho gráfico, reforçam o tom fantástico e característico da obra.
Ultrapassada a barreira do estranhamento inicial, Araruama: O Livro das Sementes se mostra uma obra de fantasia singular e primorosa, que supera seus problemas menores e se destaca não apenas por sua proposta, mas pela qualidade do que é entregue. Uma leitura muito mais do que recomendada, em especial a todo bom amante da fantasia, e o inicio de uma auspiciosa jornada.