BEM-VINDO VIAJANTE! O QUE BUSCA NO MULTIVERSO?

Batman Vs Superman - A Origem da Justiça





Preocupado com as ações de um super-herói com poderes quase divinos e sem restrições, o formidável e implacável vigilante de Gotham City enfrenta o mais adorado salvador de Metrópolis, enquanto todos se questionam sobre o tipo de herói que o mundo realmente precisa. E com Batman e Superman em guerra um com o outro, surge uma nova ameaça, colocando a humanidade sob um risco maior do que jamais conheceu.



Título: Batman Vs Superman - A Origem da Justiça
Título Original: Batman V Superman - Dawn of Justice
Lançamento/Duração: 2016 - 2h 32 min/ 3h 02 Min (Unlimited Edition)
Gênero: Aventura/Ação/Sci-Fi
Direção: Zack Snyder
Roteiro: 
 Chris Terio e David S. Goyer
Elenco: Ben Affleck, Henry Cavil, Gal Gadot, Amy Adams, Jesse Eisenberg, Diane Lane, Laurence Fishburn, Jeremy Irons, Kevin Costner, Holly Hunter, Scott McNairy, Tao Okamoto, Callan Mulvey.


Muitas pessoas já assistiram ao filme, algumas mais de uma vez, mas existe um grupo que até o momento não conferiu o filme: algumas deixaram de ver por influenciadas pela repercussão negativa que o filme teve com a crítica, outros por conta da briga desnecessária entre fãs e não fãs, outros simplesmente por não gostar de filmes de heróis ou estar saturado deles. O meu caso não foi nenhum desses. Simplesmente faltou-me tempo e dinheiro, coisas da vida adulta, sabe como é.
Porém, com o lançamento do filme em Home Vídeo decidi que era hora de poder conferir se o filme é digno de tanto burburinho. Para tanto escolhi assisti a tal versão Unlimited que acrescenta 30 minutos de filme e entrega algumas respostas que ficaram de fora do corte que foi reproduzido nos cinemas. Para poupar quem não queria ir até o fim, adianto a minha opinião sobre o filme: Está longe de ser o que ambos os lados da disputa afirma, nem o melhor e nem o pior.

O confronto entre Superman e Zod em Metrópolis - evento narrado em O Homem de Aço - fez com que a população mundial se dividisse acerca da existência de extra-terrestres na Terra. Enquanto muitos consideram o Superman como um novo deus, há aqueles que consideram extremamente perigoso que haja um ser tão poderoso sem qualquer tipo de controle. Bruce Wayne é um dos que acreditam nesta segunda hipótese. Sob o manto de um Batman violento e obcecado, ele investiga o laboratório de Lex Luthor, que descobriu uma pedra verde que consegue eliminar e enfraquecer os filhos de Krypton. O que não se espera é que ambos serão apenas peças em um tabuleiro muito maior.
Batman Vs Superman - A Origem da Justiça nos é entregue como um grande filme de ação e seu principal objetivo é atingido ao entreter o público com seus combates e sequências eletrizantes. Contudo o filme tinha potencial para ser muito mais, e foi justamente isso que penso ter desagradado a tantas pessoas. Mas ainda sim eu gostei do filme que vi em tela, algo que não aconteceu quando assisti a O Homem de Aço.
O roteiro do longa, apesar das diversas falhas que possui, é bem interessante e a ideia de plantar a discórdia entre os heróis cegando-os para tudo além da ameaça que o outro representa é muito boa. Porém é na execução que parecem morar defeitos. Não entrarei nos méritos do estilo visual, nas escolhas da direção de Jack Snyder ou se ele entende ou não de quadrinhos, pois não é essa a questão. Como filme, Batman Vs Superman - A Origem da Justiça tem alguns problemas estruturais que prejudicam o melhor desenvolvimento da trama e seus personagens. Há muito a contar e construir em pouco tempo de tela e esse "sacrifício" é visível em cenas como o sonho do Batman e a rápida aparição do Flash, muito mais fáceis de entender para quem conhece o universo dos quadrinhos. Porém, mesmo causando certa confusão no espectador em alguns momentos o filme consegue seguir uma coesão e agradar ao fim.
Se a decisão da Warner foi a mais acertada ou não, não me cabe julgar. É claro, existem diversos deslises e decisões questionáveis, mas esses acabam sobrepostos pelos acertos e pela diversão proporcionada pela superprodução. Acredito e repito que talvez tenha sido o ritmo o principal vilão do filme e responsável por evidenciar as falhas, já que elas existem também na concorrência tida como referência. 


Sobre os personagens é possível dizer de forma rápida que: O Superman, melhorou em relação ao filme anterior mas ainda está longe de ser o simbolo que deveria ser. Existe todo o esforço de construir uma aura de heroísmo ao redor do personagem e da simbologia de um salvador, mas a atuação de Henry Cavill faz com que o personagem pareça impassível - e por vezes até inexpressivo -em vez de terno e compassivo como esperado do mais humano dos heróis. Apesar de não ser o Batman dos quadrinhos, no sentido de não matar, o Batman de Ben Affleck ainda é uma adaptação muito boa do morcego. Um herói duro, desgastado e com medo de sua insignificância perante as novas ameças, mas que não pretende desistir facilmente. Um homem com fraturas que vão além do visível e se cega facilmente pela dor. A Mulher Maravilha da Gal Gadot, apesar de sua participação ser menor, consegue roubar a atenção e plantar a curiosidade para a personagem, seu passado e sua participação dali em diante. Lex Luthor é um personagem um tanto quanto enigmático, mas não no sentido de misterioso, mas no de que é difícil determinar o quanto há de genialidade e quanto há de pura loucura nele.
É direito daqueles que não gostam, mas não dá pra deixar de falar da parte visual e conceitual do filme. Mesmo exagerada e um tanto escura, a plástica visual do filme é bem construída  e bonita de se ver. Apesar de terem ficado quase exclusivamente para a parte final, as sequências de ação são eletrizantes e bem executadas. Nessa hora, assim como em Capitão América 3: Guerra Civil, não tem como não vibrar de empolgação quando esse fã-service gigante invade as telonas, é pancadaria entre amigos sim, é luta contra o inimigo errado sim, mas ninguém se importa em ver aquelas cenas de ação em tela.
Como fiz questão de adiantar lá no início, Batman Vs Superman - A Origem da Justiça está longe de ser o que ambos os lados da disputa afirma, nem o melhor e nem o pior filme de Super-Heróis. Nitidamente o filme tem um problema de ritmo e montagem que atrapalha o desenvolvimento da história e dos personagens, mas quando as coisas engatam tomam proporções enormes. A soma dos pontos a meu ver ainda é um resultado positivo e mostra que o Universo DC nos cinemas ainda tem muita coisa boa para mostrar. Como fã digo fiquei animado com para ver como será o universo que vem por aí, mesmo sendo diferente. Vale a pena conferir e garantir algumas horas de entretenimento!