BEM-VINDO VIAJANTE! O QUE BUSCA NO MULTIVERSO?

Lançamento: Manual do Malandro



O título mais esperado pelos fãs de Tormenta finalmente se tornou real! Não precisa mais chorar, sofrer, mandar toneladas de email para a Jambô, mandar mensagens nas redes sociais. A espera finalmente terminou: chegou o Manual do Malandro.
-
Cheio de classes variantes e informações preciosas para os gatunos e espertalhões que infestam os becos artonianos, o manual está em pré-venda no site da Loja Jambô (em versão digital, físico e combo), mas tem seu lançamento oficial marcado para acontecer na COMIC CON XP 2015, que acontece entre os 3 e 6 de dezembro, em São Paulo.
-
Que tal conferir a capa ilustrada por Erica Awano, com cores de Thiago Ribeiro, e saber mais sobre o conteúdo?


Ladinos, bardos, rangers e swashbucklers são os mestres da furtividade, os maiores fanfarrões, os vigaristas mais astutos e os assassinos mais sinistros de Arton. Onde o poder bruto falha, só a esperteza pode vencer. E agora as técnicas ocultas dos malandros serão reveladas a você!
O Manual do Malandro é um guia para espertalhões de todo gênero e para todos os tipos suspeitos do mundo. Último da série de suplementos aprofundando as classes de Tormenta RPG, é um catálogo de truques sujos, más companhias, golpes baixos e trapaças em geral.

Este livro contém:
-
Duas novas classes básicas, o nobre e o ninja!
Classes variantes para malandros, incluindo o gatuno, o caçador de monstros, o arcanista e o explorador.
Novos talentos e classes de prestígio para quem usa mais a cabeça do que os músculos!
Novos usos de perícias e muitos novos equipamentos, para que você nunca mais seja pego desprevenido.
Descrição das principais guildas de ladrões de Arton!
-
Malandros estão por toda parte. Você pode não gostar deles… Mas eles gostam do seu ouro!

Eu assumo que já adquiri o meu. Estava esperando apenas a chegada do Manual do Malandro para começar uma mesa nova de Tormenta. E vamos combinar: a malandragem tem seu charme!
-
Essa é a última postagem oficial do nosso Novembro Tormenta, mas como ficou visível no decorrer das nossas postagens MUITO conteúdo ficou de fora! O cenário é tão rico em produtos que fica difícil falar de todos eles em um período curto, está aí o novo lançamento que não me deixa mentir. São mais de 15 anos de sucesso e muitos mais estão por vir!


O Inimigo do Mundo


O Primeiro Sangue É Derramado
O Inimigo do Mundo acompanha a jornada de nove heróis na caçada ao misterioso assassino conhecido apenas como “o albino”, pelo mundo medieval de Arton. Mas a perseguição é mais do que aparenta, pois os aventureiros sentem as mãos divinas puxando as cordas ao seu redor — para eles, a missão será uma viagem ao inferno.
Primeiro trabalho do consagrado autor Leonel Caldela (Trilogia da Tormenta, O Caçador de Apóstolos, Deus Máquina, O Código Élfico), e o primeiro romance de Tormenta, O Inimigo do Mundo retorna nesta edição especial, com notas do autor, conto extra e galeria de arte.
Titulo: O Inimigo do Mundo  
Série: Trilogia da Tormenta
Autor: Leonel Caldela
Editora: Jambô
Páginas: 464 páginas


É sempre bom falar de livros que gostamos, isso é um fato inegável. Já toquei várias vezes no nome dele ao responder TAGs, já falamos sobre o cenário e outras obras que compartilham o mesmo universo durante as outras postagens do Novembro Tormenta, mas não tinha resenhado ainda os livros da Trilogia da Tormenta. Demorei, eu assumo, mas vou corrigir isso falando no meu livro favorito e acho que todo mundo deveria falar sobre o seu um dia.
-
Glórienn, Deusa dos Elfos, sofre com o massacre de seus filhos. Uma tristeza tão cruel que por onde passa  flores morrem e pessoas são consumidas pelo mesmo sentimento que assola a Deusa dos Olhos Tristes. Em um templo oculto ela descobre uma arma esquecida que pode mudar o destino dos elfos, mas precisa convencer os outros dezenove deuses do Panteão artoniano que aquela é melhor escolha. Mal sabia ela que sua descoberta mudaria todo o mundo de Arton para sempre.
-
Alheios a isso um grupo de nove heróis conhecidos como o Esquadrão do Inferno seguem em uma caçada a um misterioso assassino conhecido apenas como “o albino”, pelo mundo medieval de Arton. Mas a perseguição é mais do que aparenta, pois os aventureiros sentem as mãos divinas puxando as cordas ao seu redor — para eles, a missão será uma viagem à ruína.
-
O Inimigo do Mundo pode parecer a primeira a vista apenas um livro de fantasia repleto de magia e aventura, mas o primeiro livro da Trilogia da Tormenta está longe disso. Magia e aventura estão presentes, mas dor, angústia e sofrimento marcam  todo o decorrer do livro. Essa razão não parece um atrativo? Eu digo que verdadeiros heróis são os que triunfam sobre a maior dificuldade, indo muito além do desafio físico e mental.
-
Leonel Caldela consegue construir em um clima adulto e um tanto duro um cenário rico em detalhes e descrições sem que a leitura seja cansativa. Os personagens, extremamente humanos,  reagem às situação de diferentes maneiras, com sentimentos, qualidades e defeitos próprios. Conhecemos o histórico de cada um deles aos poucos e nos apegamos a eles de forma profunda, e tememos por suas vidas. E fazemos bem em temer, pois Caldela não é piedoso.
-
Por mais que existam clichês dentro da história, a forma com que foram apresentados mostrava o potencial do autor já em seu primeiro romance. A narrativa madura e segura, a difícil tarefa de iniciar a carreira profissional encarando uma saga dentro de um cenário tão grande, criado por outras pessoas, com outra finalidade, fizeram o meu respeito e admiração por Caldela crescer naquele momento e acompanhar o resto da saga fizeram-no meu autor favorito.
-
Assumo ter deixado o meu lado fã falar mais alto, mas juro que se você der uma chance ao livro e lê-lo não irá se arrepender. Pode falar comigo depois e dizer o que achou. Se você já leu algum livro do autor sabe que não estou falando nenhuma besteira. Mesmo quem não conhece Tormenta de outras obras e/ou joga RPG vai poder aproveitar o livro, sua história, a narrativa de Leonel. 


20 Deuses

Em muitos lugares, os deuses são seres distantes, indiferentes aos assuntos dos mortais.O mundo de Arton não é um desses lugares!
Por longos séculos, Valkaria foi aprisionada pelo crime de criar a Tormenta — o grande mal que ameaça tudo e todos. Agora, a Deusa da Humanidade parece disposta a fazer algo a respeito. Ou melhor, levar um novo herói a desafiar esse flagelo.
Aqui começa a jornada de Mateo em busca das Medalhas dos Aspectos, que invocam o poder dos vinte deuses. Uma jornada através de Arton, um mundo de problemas que apenas os deuses podem resolver. Ou causar!
De Marcelo Cassaro e Rafael Françoi, 20Deuses é o novo mangá no mundo de Tormenta RPG, mesmo lar de Holy Avenger, O Inimigo do Mundo, Ledd, DBride e outras grandes aventuras! Inclui material de bastidores inédito.
Título: 20 Deuses
Roteiro: Marcelo Cassaro / Arte: Rafael Fraçoi
Editora: Jambô
Páginas: 144

Acabamento: 20,5 x 27,5 cm, capa dura
 
Por anos um dos segredos mais bem guardados sobre a história do Panteão artoniano permaneceu guardado pelos seus autores. Valkaria, a deusa da ambição, dos aventureiros e da humanidade havia sido punida e transformada em estátua por um crime cometido durante o que ficou conhecido como a Revolta dos Três. Foi um choque saber que ela estava diretamente envolvida com a criação daquilo que se tornaria o maior dos perigos que assola este mundo. Recentemente liberta de sua punição e cativeiro, ela está atuando diretamente na luta contra a Tormenta, a tempestade anti-natural que aos poucos devora Arton. Em nosso post do Novembro Tormenta de hoje falaremos sobre uma HQ que narra um destes esforços de Valkaria em por suas crias, os humanos, contra um perigo abominável apenas para vê-los triunfar vitoriosos.
-
20 Deuses teve sua estreia em 2011 nas páginas da revista Dragon Slayer nº 36, na qual permaneceu sendo publicada ao longo de mais 4 edições. Com o fim da revista em banca, a publicação migrou para a plataforma de mangás online no próprio site da Jambô, ao lado de Ledd e Khalifor. Após um hiato ela foi compilada e lançada com mais dois capítulos até então inéditos num encadernado no início de 2015. Este é apenas o primeiro volume do que promete ser mais uma longa saga em Arton.
-
A história se inicia em Callistia, que é tido como o Reino menos popular do Reinado. Lar de gente simples e pacata que encontra na pesca de água doce a sua principal atividade e fonte de renda o reino de Callistia não lida bem com aventureiros. Recentemente a ameaça dos Tiranos das Águas, seres aquáticos monstruosos que saem das profundezas dos rios e saqueiam as pequenas vilas em suas margens, têm feito a presença de aventureiros ser mais constante e tolerada neste reino.
Nosso protagonista, Mateo, é o típico herói improvável, e embora seja muito talentoso, reluta como pode o seu destino como aventureiro, preferindo a vida calma como pescador. Tudo muda quando Val surge diante dele. Ela é a presença provocante que o incita a ir além, a ser mais e a ter ambição (quase sempre de uma forma 'falha' mas quem ganha com isso somos nós os leitores).
-
Convencido por Val e tendo a aprovação de sua mãe, Mateo resolve então partir em busca de seu pai, outrora um grande herói e um dos responsáveis pela libertação da deusa Valkaria, que há muito também havia partido e deixado filho e esposa para combater a causa por trás dos ataques dos Tiranos das Águas: a Tormenta.
-
Assim como em Dungeon Crawlers, o casal de protagonistas nos levam às gargalhadas pelas brigas acaloradas e pelas personalidades conflitantes. O divertido e instigante roteiro de Marcelo Cassaro consegue te deixar com a pulga atrás da orelha enquanto entrega alguns detalhes sobre o mundo, a história e os mistérios que conduzirão toda a trama: Afinal, quem é a Val? O que são e de onde vieram as Medalhas dos Aspectos? Quem é aquele cara de armadura invocada? Por quê todos portam armas exóticas? etc.
-
A escolha do roteirista em trabalhar com elementos pouco convencionais e populares entre os fãs, tais como os minauros, o próprio reino de Callistia e o herói relutante, além do desafio óbvio, trouxe um uma riqueza criativa e um frescor de novidade únicos para essa história.

A arte é outro ponto forte em 20 Deuses! Rafael Françoi dá vida a tudo isto com traços curvilíneos, esguios e dinâmicos no melhor estilo mangá, sem pecar em originalidade! Ouso dizer que uma rápida folheada no encadernado já é o suficiente para convencer da compra. O design atraente dos personagens, com suas roupas e armas exóticas, além dos bem trabalhados cenários rurais ou urbanos são irresistíveis!
-
Ao optar por fazer um encadernado de luxo, a Jambô acerta mais uma vez em entregar uma ótima história com o máximo de qualidade gráfica. Como extras temos uma galeria de esboços dos personagens comentada, algumas páginas de roteiro originais e o perfil dos autores. Vale destacar o formato maior das páginas do encadernado comparadas às da revista, além da bela capa dura com verniz localizado. 
-
Tormenta é uma fonte inesgotável de ótimas histórias, tanto as contadas nas mesas de RPG quanto as das obras derivadas e 20 Deuses é mais uma destas. Há em suas entrelinhas uma poderosa mensagem sobre ser o você quiser, sobre almejar o impossível e sobre ousar ir além. Some a isto um enredo divertidíssimo, personagens carismáticos e uma arte caprichada e você tem em mãos um trabalho de primeira, um deleite digno da ambição daquela que é a mais humana das Deusas do Panteão.





Tormenta: Mesas Virtuais Oficiais

Em tempos onde reunir amigos em torno de um interesse comum parece ter se tornado uma tarefa cada vez mais difícil, graças a correria do dia a dia, a internet tem sido uma solução ideal para quem não quer ficar parado. Não é a toa que as mesas online estão se tornando mais contestantes, basta escolher a sua ferramenta de conexão preferida e/ou aquele programa especial, e começar a diversão. É claro, ainda temos aquelas pessoas que não se sentem a vontade para começar a jogar (tanto pessoalmente, quanto virtualmente), aquelas que não encontraram ainda um grupo, ou mesmo querem apenas acompanhar várias mesas pelo simples prazer do entretenimento. A solução nesse caso é ainda mais simples.
-
As transmissões de sessões de RPG via streaming estão cada vez comuns e oferecem uma grande diversidade de cenário, sistemas e tramas para o público. Esses vídeos são divertidos pra quem joga e úteis para quem está começando (seja como mestre ou como jogador) ter uma noção maior de como funciona nosso divertido hobbie. Tormenta é \claro não poderia ficar fora dessa onda e chega não com uma, mas com duas opções para você!


No mês de setembro foi ao ar o primeiro episódio oficial da Guilda do Macaco, transmitida via Stream, e com promoção da Editora Jambô e da Roleplayers. E o que tem de tão especial nisso?  - Você pode se perguntar. Na verdade muita coisa...
-
Além de termos a oportunidade de assistir à aventuras de RPG, a Guilda do Macado é a primeira aventura oficial do cenário de fantasia mais amado do Brasil, utilizando seu próprio sistema Tormenta RPG. Além disso a mesa conta com dois  jogadores especiais, que junto com o Marcelo Cassaro ajudaram a criar o cenário. 
-
O mestre Bruno Cobbi é o responsável por conduzir os personagens de Rogério Saladino, Azecos, Luiza Melki, Johnny  Paschoaletto, J.M. Trevisan e Felipe Della Corte, pelo fantástico mundo de Arton.


A stream acontece de duas em duas semanas às 20h30 em terça-feiras no canal http://www.hitbox.tv/macacocaolho, e além de ajudar instituições beneficentes, os inscritos também concorrerão a diversos prêmios doados por empresas parceiras. Os episódios anteriores ficam disponíveis no canal da Editora Jambô no youtube.
No último mês de outubro foi ao ar o primeiro episódio do RPG das Minas, um projeto de stream quinzenal de RPG de caráter beneficente: 30% do valor arrecadados com as inscrições no canal será destinado a diferentes instituições todo mês. Além de ajudar instituições beneficentes, os inscritos também concorrerão a diversos prêmios doados por empresas parceiras.
-
O grupo é formado apenas por mulheres, e talvez você já conheça algumas delas de outros lugares e projetos. São elas: Barbara Micael (Player Barbie), Flávia Gasi (IGN Brasil), Lu Simioni (Luhzinha), Monique Alves (Resident Evil Database) e Marina Formaglio (Garotas Geeks). O narrador da mesa é Felipe Della Corte,  também participante das streams do Macaco Caolho!



A stream acontece de duas em duas semanas às 20h30 em quinta-feiras no canal hitbox.tv/rpgdasminas, e além de ajudar instituições beneficentes, os inscritos também concorrerão a diversos prêmios doados por empresas parceiras. Os episódios anteriores ficam disponíveis no canal da Editora Jambô no youtube.
-
Para acompanhar as novidades, é só seguir o RPG das Minas no Facebook e no Twitter, ou no próprio canal da Hitbox.
Não existe desculpa: se você tinha curiosidade de conhecer melhor o RPG e de quebra um pouco do cenário, essas são duas oportunidades muito boas. De quebra, quem sabe, essas mesas virtuais talvez auxiliem na ruptura de alguns preconceitos que possam estar enraizados em sua mente como: RPG ser coisa apenas de jovem e desocupado, ou que mulheres não jogam.
-
Já se você é experiente e ainda está relutante, acho que deveria deixar a insegurança de parar para conferir. Não é sempre que temos a oportunidade de acompanhar mesas oficiais de um cenário sabendo que as ações deles podem interferir mais para frente, quem sabe, em nossas próprias mesas. É muito bacana ver a maneira como os mestres administram a partida - eu mesmo já aprendi bastante com o Cobbi - e como cada pessoa lida com a interpretação de seus personagens.  
-
Existem mundos há espera de novas aventuras, e continuar com mente de camponês certamente não fará de você o herói/heroína que eles precisam. Aproveita que as transmissões ocorrem em dias diferentes e fica atento para a próxima. Até lá confere os vídeos anteriores e aproveita o show!


TORMENTA RPG

Tormenta é o cenário de RPG mais popular do país. Nascido em 1999 nas páginas da revista Dragão Brasil, esta terra de espada e magia cresceu. Tormenta agora é um jogo completo, e está de volta em uma nova edição — revisada, expandida e aprimorada!
Com este livro básico, você poderá criar seus próprios personagens e aventuras, e embarcar em infinitas sagas com os grandes heróis e vilões deste mundo. A chegada da Tormenta. A busca pelos Rubis da Virtude. O retorno do Terceiro Deus. O ataque de Mestre Arsenal. As Guerras Táuricas. Agora essas histórias podem ser suas.
Tormenta RPG — Edição Revisada contém tudo de que você precisa para jogar: Arton precisa de heróis. Seja um deles!
Título: Tormenta RPG
Roteiro: Gustavo Brauner, Leonel Caldela, Marcelo Cassaro, Rogério Saladino, Guilherme Dei Svaldi e J.M. Trevisan.
Editora: Jambô
Páginas: 320 - Capa Dura



Dando continuidade ao nosso mês dedicado a Tormenta vamos finalmente falar sobre o elemento que está mais intimamente ligado ao cenário, afinal essa é sua origem. Tormenta RPG é um jogo de RPG (óbvio) – role playing game ou jogo de interpretação de papéis – lançado pela Jambô Editora. 
Já contamos a história do cenário de fantasia mais amado do Brasil em postagens anterior, mas é sempre bom relembrar um pouco para os que estão chegando agora. Tormenta foi lançado em 1999 como brinde nas páginas da falecida Dragão Brasil, revista especializada em RPG. Tormenta é o mais bem sucedido cenário de RPG no Brasil, tendo dezenas de cópias e tornando-se um universo muito além do RPG com várias histórias em quadrinhos e romances publicados ao longo de seus 16 anos. Sobre alguns desses nós já comentamos, como Holy Avenger, Crônicas da Tormenta, e Dungeon Crowlers.
Durante muito tempo Tormenta foi um cenário que usava as regras de outros sistemas (GURPS, AD&D e 3D&T), até que com a chegada da Licensa Aberta pôde concentrar suas publicações no sistema d20, que permitia que as regras fossem compatíveis com as do mais famoso jogo de RPG do mundo: Dungeons and Drangons. Mas em 2008 a Wizards of the Coast lançou a 4ª edição de D&D com um novo sistema de jogo, e alterou as regras da Licença limitando a criação de novos materiais compatíveis com o sistema. Isso fez com que os autores de Tormenta tomassem uma decisão: criar um sistema próprio. Assim nascia Tormenta RPG.
Tormenta RPG é um manual básico de regras de RPG e apresentação do cenário. Com ele você não precisa de nenhum outro livro pra jogar e se divertir, seja você um jogador experiente ou um novato. E logo de cara o primeiro capítulo apresenta o mundo de Arton, seus principais reinos e acontecimentos, características mais importantes de Arton, além da sempre presente explicação sobre o que é RPG caso você seja novato.
Aliás, por falar em introdução, o inicio de cada capítulo é marcado por uma parte de um conto que traz a história de um homem que acorda sem memória em Vectora e então vai descobrindo as maravilhas de Arton ao longo do livro. Este conto, escrito por Leonel Caldela, serve para introduzir o leitor e apresentá-lo ao cenário de maneira mais lúdica e envolvente do que simplesmente apresentar regras e mais regras.
Daí em diante começam a ser apresentas as regras, todas elas fáceis de se compreender com a leitura atenta do livro. Apesar de assustar os menos acostumados, não há complicações graves; acredite existem sistemas muito mais complexos. Os capítulos seguintes à introdução apresentam o básico da criação de personagens - Habilidades, Raças e Classes - todos com texto fluido e bem descrito para que as dúvidas que venham a surgir se tornem mínimas. 
E não faltam opções aos jogadores para que possam criar os mais variados personagens com as possíveis combinações. São onze raças - Anão, Elfo, Goblin, Humano, Lefou (seres tocados pela Tormenta), Minotauro, Qareen (meio gênios), Gnomos (não existem no cenário), Meio-elfos e Meio orcs - e mais treze classes - Bárbaros, Bardos, Clérigos, Druidas, Feiticeiros, Guerreiros, Ladinos, Magos, Monges, Paladinos, Rangers, Samurai e Swachbukler - as profissões que seu aventureiro pode ter.
Os capítulos seguintes adentram um pouco mais nas regras e apresentam as pequenas minucias da construção de um personagem como escolha de nome, criação de histórico, características físicas e mentais. Temos explicações para o uso de perícias e de talentos, descrição dos deuses de Arton, descrições e listas de equipamentos, regras que envolvem o combate. Além disso os capítulos finais trazem uma extensa lista de magia, informações voltadas para o Mestre/Narrador - com todas as informações necessárias para conduzir uma aventura de maneira justa e divertida - e um breve e funcional bestiário com criaturas suficientes para a maioria das aventuras.
Fechando o livro temos um capítulo dedicado à cidade de Malpetrim, uma das principais (e primeiras) cidades do cenário, ponto ideal para o inicio de aventuras. O capítulo é perfeito em sua descrição sobre uma típica cidade do cenário e deixa o leitor mais intimo do clima que permeia o cenário.
Além de tudo isso o livro é visualmente muito bonito, desde o projeto gráfico feito pelo ilustrador Dan Ramos até o acabamento das páginas e as ilustrações que complementam as descrições. Vale a pena reforçar mais uma vez a qualidade do texto do livro, tornando-o gostoso de se ler, mesmo quando você está lendo uma regra. Existem muitos exemplos que poderiam ser descritos de forma enfadonha, mas são feitos de forma simples, através de exemplos lúdicos, mais fáceis e prazerosos. 
Aquele que não se contentar em ficar apenas com o básico não irá sofrer, pois Tormenta RPG é constantemente implementado através de novos livros - NÃO OBRIGATÓRIOS, mas muito bem vindos - que tornam o jogo ainda mais interessante. E a maior parte deles está disponível em formato físico e digital!
Livros sobre raças com mais opções para construção de personagem, livros sobre o mundo de Arton e outros sobre localidades mais específicas como a cidade de Valkaria, manuais sobre os monstros e sobre grupos específicos de heróis, além de aventuras prontas para facilitar a vida de mestres e jogadores. Para falar a verdade há muito mais pronto e ainda por vir, além de conteúdo exclusivo disponíveis através do site da Jambô.
Tormenta RPG é um passo importante na história desse que é o mais longevo cenário de RPG publicado no país e não deixa nada a dever a nenhum produto importado. Leia o Tormentão, arme-se com dados multifacetados, lápis e papel, junte os amigos, coca-cola e muita imaginação e voi lá! Em instantes todos estarão desbravando aquele mundo, explorando seus reinos, mistérios, tesouros, vencendo vilões, monstros e tudo mais que a sua imaginação puder criar. RPG é um jogo sobre contar histórias, porque não contar a sua em Arton?



Dungeon Crawlers

Lenórienn, a majestosa cidade élfica. Tomada por monstros.
Os elfos, dizimados. Derrotados. Amargos. Loucos.
Um elfo que tenta esquecer tudo.
Uma humana que tenta aprender tudo.
Uma amiga leal.
Eles vão retornar à Cidade dos Elfos para desvendar seus segredos e, talvez, trazer esperança a esse povo.
Eles são rastejantes de masmorras. Dungeon crawlers.
Este álbum reúne todas as edições de Dungeon Crawlers, publicadas originalmente em 2004. Traz a história completa, além de mais de dez páginas de extras originais e exclusivos.                                           
Título: Dungeon Crawlers
Roteiro: Marcelo Cassaro / Arte: Daniel HDR
Editora: Jambô
Páginas: 112



E o Novembro Tormenta, um mês temático e especial no Multiverso X em que abordamos obras relacionadas ao cenário de RPG mais amado do Brasil continua e a minha dica de hoje é mais uma história em quadrinhos.
-
Dungeon Crawler foi originalmente publicado em banca, mensalmente em 4 edições no formato revista pela editora Mythos ao longo do ano de 2004 em pleno boom dos mangás no mercado brasileiro e tendo Holy Avenger como o grande expoente da produção nacional desta vertente de quadrinhos. Seu título é um jargão rpgista, um “rastejante de masmorra” nada mais é do que um aventureiro que explora túneis e cavernas derrotando monstros e conquistando tesouros.
-
Falando nisto, nesta mesma época ocorria uma mudança no mercado global de RPG com a recente chegada da 3ª Edição de Dungeons & Dragons e sua famosa Licença Aberta. Entre outras coisas esta edição praticamente abolia todas as restrições quanto a combinações de raças e classes (a carreira) para a criação de novos personagens pelos jogadores. Isso provocou um rompimento com os clichês mais tradicionais da fantasia e a expansão das possibilidades de jogo ao se combinar raças e classes em formatos únicos e até então inéditos: anões magos, elfos bárbaros, halflings monjes, orcs paladinos… A imaginação era o novo limite.
-
Reflexos desta mudança de postura no mais icônico e popular sistema de jogo inevitavelmente chegariam à Tormenta e viriam a inspirar algumas situações inesperadas vistas em Dungeon Crawlers. Cerca de nove anos depois, em 2013 a editora Jambô compila aquelas quatro edições num encadernado e anuncia o relançamento oficial para o FIQ - Festival Internacional de Quadrinhos daquele mesmo ano em uma nova e esmerada edição e é dela que falarei agora.
-
Dungeon Crawlers conta a história de uma expedição ao remoto continente de Lamnor, cuja finalidade é alcançar a lendária e perdida Cidade dos Elfos, Lenórienn. A expedição é financiada pela ordem de clérigos de Tanna-Toh, a Deusa do Conhecimento e é comandada por Aurora uma clériga obstinada e disposta a descobrir tudo o que for possível sobre o antigo lar da raça élfica em Arton. Mas algo sai errado e o grupo de exploradores é atacado e dizimado. De sobreviventes sobram apenas Aurora e Brigandine, a sua amiga e fiel escudeira, embora ela também seja um pouco temerosa de tudo o que a cerca, chegando até a comprar uma armadura completa e um escudo enorme para se defender dos perigos. Elas acabam sendo salvas de outra ameaça enervante por Fren, um ranger elfo local. Elas o convencem a prosseguir com a missão e assim partem os três em busca de Lenórienn...
-
Boa parte da temática e do humor da história residem no conflito de personalidades experimentado por Fren e Aurora. O casal é o completo oposto um do outro em vários aspectos: seja pelos deuses que escolheram cultuar (Alihanna e Tanna-Toh), pela forma como conduzem suas próprias vidas (ele é displicente e ela sistemática) ou pelo modo como tomam decisões (ele é impulsivo e ela cautelosa) o que acaba propiciando momentos hilários realçadas por gags visuais e super deformed (SD) no melhor estilo dos animes japoneses. Brigandine é o elo de união do trio, mediando e intervindo nas discussões mais acaloradas e constantemente se vendo na obrigação de lembrá-los do perigo e da missão que ainda precisam cumprir.
-
Juntos, eles precisam aprender a conviver com estas diferenças individuais e a somar esforços para superar os desafios daquele continente selvagem, mantendo a esperança de que possam voltar de lá sãos e salvos. É uma típica história de aventura de fantasia temperada com muito bom humor.
-
O roteiro de Marcelo Cassaro apresenta uma ótima fluidez e exibe uma boa dose de talento ao trabalhar os conceitos duais dos personagens, não pecando na ambientação e no desenvolvimento da história. Como Dungeon Crawlers foi planejada para ser uma série curta alguns pormenores sobre os personagens terminam sem uma explicação, muitos deles envolvendo o passado deles mas isto não compromete a trama principal.
-
A arte apresenta um estilo bem próprio, um amálgama entre o comics e o mangá, tendo ficado a cargo de Daniel HDR, que na época já produzia trabalhos para o mercado norte-americano tendo inclusive sido responsável pela arte de uma adaptação em mangá da primeira temporada do anime Digimon. Destaque também para o trabalho de colorização de Ricardo Riamonde que realçou ainda mais a vertente anime da arte.
-
A edição mais recente da editora Jambô conta com diversos extras que enriquecem muito a experiência do leitor com a história inclusive com uma ótima entrevista com os autores conduzida por Vagner Abreu, redator do Estúdio Dínamo e integrante do podcast Argcast. Somam-se à entrevista esboços originais comentados pelos autores, um making of da nova arte de capa e uma galeria com artes do cenário de Tormenta relacionadas à história, incluindo todas capas originais das edições de banca. Só senti falta das histórias curtas ilustradas pela Erica Awano que vinham nas últimas páginas das edições originais e que mostravam um pouco mais do passado de alguns personagens importantes em Dungeon Crawlers, principalmente a princesa élfica Tanya. Contudo a nova edição supera em muito em qualidade gráfica as antigas, com direito a um formato maior, páginas internas em papel couché de alta qualidade e capa fosca em papel cartão mais firme e resistente.
-
A HQ não nega suas origens e constantemente faz referências a regras e a situações comumente experimentadas nas mesas de jogo e por isto, acredito que Dungeon Crawlers ganha um toque ainda mais especial para quem além de leitor é também um rpgista (e se este já estiver familiarizado com Arton então, melhor ainda!). Contudo é um quadrinho que pode ser lido mesmo por quem ainda não rolou os dados sem maiores problemas. Há uma excelente introdução sobre o mundo, seus deuses e uma contextualização sobre a ameaça da Aliança Negra e a queda da cidade élfica de Lenórienn. Para quem quer conhecer Arton sem o compromisso de embarcar numa “mega saga” como Holy Avenger, ou a trilogia de romances, Dungeon Crawlers é um ótimo aperitivo. A porta de entrada perfeita para a Arton tanto das HQs quanto a dos RPGs.


Crônicas da Tormenta

As fronteiras da fantasia medieval são exploradas em quatorze contos, quatorze visões do mesmo mundo, quatorze histórias de aventura, guerra, tragédia, magia, amor e traição. Ao lado de cavaleiros e ladrões, soldados e menestréis, vigaristas e bárbaros, somos levados em uma jornada por Arton, um dos mais populares universos fantásticos do Brasil.
Crônicas da Tormenta apresenta Arton em todo o seu esplendor e horror, por alguns dos maiores nomes da literatura fantástica nacional. Nestas páginas há pequenas tragédias e vitórias, ao lado de grandes caçadas a monstros e guerras que mudam o destino do mundo. Seus protagonistas são crianças e deuses, guerreiros e artistas. Seus cenários são os salões da nobreza, as tavernas imundas, os campos de batalha sanguinolentos, as estradas empoeiradas, os mares bravios.
Os veteranos encontrarão os locais e personagens que já conhecem, além de descobrir outras facetas deste mundo. Os recém-chegados encontrarão uma terra repleta de magia e maravilhas, num volume que é a introdução perfeita ao cenário — e descobrirão por que não há lugar como Arton.
Título: Crônicas da Tormenta
Autores: Leonel Caldela, Remo Disconzi, Claudio Villa, Marlon Teske, Ana Cristina Rodrigues, Douglas MCT, Rogério Saladino, Leandro Radrak, Raphael Draccon, Antonio Augusto Shaftiel, Marcelo Cassaro e J.M. Trevisan
Editora: Jâmbo
Páginas:  288



Você já pôde conhecer um pouco de Tormenta quando contamos um pouco da história do cenário de fantasia mais amado do Brasil e teve uma prova que há um universo muito além do RPG com a nossa postagem e também com a resenha do quadrinho Holy Avenger. Agora quer conhecer esse universo mais a fundo, mas ainda não se sente a vontade para encarar um RPG, uma série em quadrinhos ou mesmo uma trilogia de livros (ou talvez até queira, mas uma coisa de cada vez, por favor). Talvez eu tenha o livro ideal para você entrar no clima que permeia o mundo de Arton!
Organizado por J.M. Trevisan, Crônicas da Tormenta traz contos de Leonel Caldela, Remo Disconzi, Claudio Villa, Marlon Teske, Ana Cristina Rodrigues, Douglas MCT, Rogerio Saladino, Leandro Radrak, Raphael Draccon, Antonio Augusto Shaftiel, Marcelo Cassaro e do próprio Trevisan, com apresentação de Gustavo Brauner e prefácio de Eduardo Spohr.  
O livro apresenta as várias faces do mundo Arton com contos que tratam de aventura, guerra, tragédia, magia, amor e traição. Somos agraciados com a chance de conhecer diversos tons de um mundo ao lado de paladinos, trapaceiros, bardos, ladrões e monstros. Como é bem dito em sua sinopse: Nestas páginas há pequenas tragédias e vitórias, ao lado de grandes caçadas a monstros e guerras que mudam o destino do mundo. Seus protagonistas são crianças e deuses, guerreiros e artistas. Seus cenários são os salões da nobreza, as tavernas imundas, os campos de batalha sanguinolentos, as estradas empoeiradas, os mares bravios.
Por se tratar de um livro de contos contos e não um romance, Crônicas da Tormenta tem a vantagem de se poder ler os capítulos sem se preocupar com a continuidade ou mesmo lê-los em ordem, não há uma seqüência de eventos que te obrigue a ler os arquivos anteriores. Em contraponto a maior desvantagem - se é que podemos chamar dessa forma - seja despertar nos leitores aquela vontade de saber mais sobre aquelas histórias e personagens, ansiar por uma continuação ou mesmo um desenvolvimento posterior no espaço de um romance completo.
-
Pelo mesmíssimo motivo fica difícil comentar conto a conto sem tornar a postagem longa (recomendo que quem quiser algo assim confira a postagem do site rpgista), mas não deixarei de falar sobre aqueles que me chamaram a atenção. O conto Ária Noturnade Marlon Teske, foi um desses. Logo de incio me ganhou com a qualidade da escrita e personagens, deixando uma vontade de ler mais. Assim foi também com o misterioso e instigante Lua de Trevas de Leandro Radrak,  com o confuso e sombrio Revés de Douglas MCT, e com o empolgante Hedryl de Raphael Draccon.
Porém a minha admiração maior incide sobre quatro contos especiais. Reedições de contos clássicos do cenário anteriormente publicados nas finadas revistas Dragão Brasil e Tormenta. Arautos da Guerra de Antônio Augusto Shaftiel com seus clérigos de Keen tão notórios e únicos; O Cerco de J.M. Trevisan com a representação icônica da Aliança Negra e os mito que a envolve; A caçada clássica do paladino Taskan Skylander e seu irmão grifo ao Dragão-de-Aço em Vingador de Aço de Marcelo Cassaro. E por fim o meu favorito: Ressureição, de Leonel "Dorkboy" Caldela, com a história do famigerado Grupo do Mal. 
Os que já conhecem o cenário encontrarão locais e personagens que já conhecem - seja através dos quatro contos reeditados e republicados na antologia ou por meio dos contos inéditos - e terão a chance de descobrir outras facetas deste mundo fascinante. Os recém-chegados irão se deparar com uma terra repleta de magia e maravilhas, mas que também apresenta diversas questões que precisam de solução e irão entender o que torna Arton tão interessante.
Crônicas de Tormenta garante boas horas de uma leitura de alto nível, com histórias para diferentes gostos e diferentes níveis, e em cada uma diferentes estilos de escrita; certamente um deles irá te agradarA cada conto fica visível não apenas a amplitude do cenário, mas também que Tormenta tem muito o que contar; seja isso feito através de romances, quadrinhos ou contos. Fica aqui até o meu desejo por mais antologias com narrativas ambientadas em Arton, ou quem sabe novos romances. 



DRACO NO FIQ 2015



A Draco está investindo forte nos quadrinhos nacionais com lançamentos dos mais diversos gêneros; isso já vimos em nossa postagem sobre o selo Dracomics e os quadrinhos online da editora, Só que agora a editora está cada vez mais ativa nos maiores eventos do gênero que acontecem no país!
-
Em sua primeira participação no FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte), a editora ampliou o catálogo de quadrinhos nacionais. São HQs de terror, fantasia, aventura e jornalismo dos mais variados estilos, que vão do mangá ao experimental, com títulos voltados para crianças, jovens e adultos.
-
Confira alguns títulos!
A redescoberta da obra de Robert W. Chambers, autor dos contos sobre a peça de teatro maldita O Rei Amarelo, inspirou essa coletânea com oito histórias em quadrinhos cheias do mais doentio horror em preto, branco e amarelo.
São 164 páginas macabras inspiradas pela leitura do livro amaldiçoado, visões amareladas que forçaram os artistas a realizar histórias originais que destruíssem tudo à sua volta, até eles mesmos.
A organização do álbum enlouqueceu Raphael Fernandes, que aprisionou um time de quadrinistas formado por Pedro Pedrada, Tiago P. Zanetic, LuCAS Chewie, Mauricio R. B. Campos, PériclesIanuch, Airton Marinho, Marcos Caldas, Erik Avilez, André Freitas, Tiago Rech, Victor Freundt, Rafael Levi, Samuel Bono e Raphael Salimena. Todos enclausurados por uma sinistra capa de JoãoPirolla.
O Rei Amarelo em Quadrinhos é o terror na sua forma mais bruta, trazendo imagens cativantes e perturbadoras interpretações para a busca por Carcosa. Mas, acima de tudo, é um mergulho em um poço ocre onde a esperança de emergir para a realidade não passa de um sonho em duas cores.
O mundo acabou, mas a aventura apenas começou!
Enquanto perambula pelas tediosas planícies do fim do mundo, a jovem barda Rita busca inspiração para compor a balada épica definitiva. E seus desejos são atendidos na forma de quatro misteriosos guerreiros que caem do céu com uma missão: encontrar a misteriosa Argos, passar pelo seu temível guardião e recuperar o único artefato que pode salvar a vida do Rei!
Argos – um fim do mundo muito louco é uma história criada pela dupla Leo Martinelli e Raphael Salimena (Bela Lugosi is Dead e St. Bastard), com uma arte ricamente colorida e imaginativa. Mais do que uma divertida busca que lembra as aventuras de RPG e videogames, essa é uma jornada que desbrava um lindo futuro distópico rodeada por ecos do passado. Venha buscar tesouros tão malucos que farão sua cabeça explodir!
Inteligência na base da porrada? Como assim???
Starmind conta a história de Artie, um garoto que pede a uma estrela cadente para se tornar inteligente e milagrosamente é atendido. Assim torna-se Starmind, o Guardião do Saber. O guerreiro tem o poder de distribuir inteligência a todos, o problema é que só faz isso através da porrada! Isso traz diversas consequências, tanto boas quanto más, e cabe a Artie e seus amigos enfrentá-las.
E desta vez, como na Terceira Lei de Newton, poderosas reações irão diretamente de encontro ao nosso herói. Dr. Phillipe Popper, o professor de Química na escola, discorda da maneira radical dos métodos de ensino aplicados por Starmind. Agora o Guardião do Saber deverá responder ao desafio do sábio vilão.
Starmind – o professor de Química do mal, de Ryot e Toppera-TPR, é uma divertida e alucinante viagem visual. O que ocorre quando dois poderosos corpos ocupam o mesmo lugar no espaço? Não perca por nada nesse mundo!originalmente em Imaginários em Quadrinhos v. 1.

Um cabra valente feito de água. Oxe!
Cristiano Valente, também conhecido como Cabra D’água, é um cabeludo bem vestido, conversador e cheio de atitude. Vagando pelo sertão nordestino, usa as suas habilidades de manipular a água para resolver conflitos e ajudar o povo sertanejo, ao mesmo tempo que aprende sobre esses novos poderes com coragem e bom humor.
A cidade de Gado Bravo foi sitiada pelo bando do Gordão, as autoridades locais foram dominadas. Agora, seus moradores estão proibidos de sair de casa enquanto tudo está sendo destruído. O terror tomou conta! Mas Gado Bravo também é onde mora Cezinha, um garoto esperto que tem o amigo mais poderoso do sertão: Cabra D’água!
Cabra D’água – Terra sitiada, escrita por Airton Marinho e desenhada por Ronaldo Mendes, é uma HQ brasileira com tempero nordestino. Uma divertida aventura no sertão, com diálogos cheios de expressões e referências populares e ótimas risadas. Agora é sentar na poltrona, pegar uma sorda e começa a ler!
Nunca ouviu fala de sorda? Você não sabe o que está perdendo!
Preparar para a decolagem, a jornada começa agora!
Voe com as aventuras hilárias de Baltazar, o mais novo de uma lendária família de aviadores, e seu companheiro, o debochado e mal-educado pato Colombo.
Aventurando-se para pagar as contas ou ter o que comer (e nem sempre conseguindo as duas coisas), os amigos se metem nas mais absurdas presepadas, mesmo saindo no prejuízo. Será que vão conseguir quitar todas as dívidas com seu sinistro agiota?
Quack é um mangá com roteiro e desenhos de Kaji Pato. Prepare-se para loucuras, risadas e diversão, mas acima de tudo uma história de aventura e amizade, que mostra a força do espírito livre e da imaginação.
Um mundo bárbaro tão perigoso que só uma destemida heroína pode enfrentar
Valkíria é uma guerreira que vive em uma terra onde a brutalidade é a única certeza no dia a dia de humanos e criaturas que a habitam. Junto ao seu fiel companheiro Rama, ela vai encarar diversos desafios, como encontrar a famosa fonte da juventude, enfrentar uma horda de zumbis famintos e destruir os planos de um grupo de terríveis mercadores de escravas. Este é o primeiro álbum que reúne histórias da saga dessa lendária aventureira.
Criada por Alex Mir e Alex Genaro, Valkíria é uma jungle girl que homenageia personagens que inspiraram gerações de leitores de quadrinhos. Tendo surgido em diversas publicações independentes, incluindo uma história na antologia Imaginários em Quadrinhos v. 1, é agora uma webcomic periódica no site Petisco. Em Valkíria – A Fonte de Juventude, siga a trilha dessa linda garota e desvende os mistérios e perigos dessa terra selvagem!

Esta não é uma obra de ficção. Conheça o maníaco que aterrorizou Fortaleza nos anos 80.
Quem vê as portas e janelas cobertas por grades de ferro no Conjunto Prefeito José Walter, periferia de Fortaleza-CE, não imagina que são tudo o que resta de uma série de acontecimentos terríveis no final dos anos 1980. Lá agiu o Cortabundas, um indivíduo misterioso que entrava nas casas durante a madrugada, fazia cortes nas nádegas de mulheres e desaparecia na escuridão.
Foram três anos de pavor no bairro, pois ninguém conseguia descobrir a verdadeira identidade do criminoso. O maníaco do José Walter ganhou ares de lenda urbana, ao ponto de muitas pessoas acreditarem que ele nem mesmo existiu. Mas quem morava na área, e principalmente quem teve as suas casas invadidas pelo Cortabundas, lembra muito bem de tudo o que aconteceu.
Em Cortabundas – O Maníaco de José Walter, o autor Talles Rodrigues, morador do bairro de José Walter desde que nasceu, traz uma reportagem em formato de HQ que mostra um panorama da região durante a década de 80, narrando a trajetória do maníaco e a sua própria para entender esse estranho caso. Uma história de perversão contada em quadrinhos, um trabalho de jornalismo investigativo que busca na realidade do subúrbio os relatos das vítimas e de pessoas que queriam apenas dormir tranquilas de noite.
Vários outros produtos da Draco também estarão disponíveis no evento: que tal aparecer lá para conhecer? O Airechu estará lá no domingo representando o blog, quem sabe não se batem com ele por lá? :)
-
Para saber mais informações sobre a participação no FIQ e toda a programação que vai rolar no estande é só acessar o blog da editora. Outros lançamentos estão programados para a Comic Con Experience, onde a Editora Draco participará com um estande, e serão informados posteriormente.